sicnot

Perfil

Economia

Bruxelas diz que há "riscos substanciais" no Banif

Bruxelas considera que existem "riscos substanciais" no plano de reestruturação do Banif e tem "dúvidas" de que o banco tenha viabilidade, segundo uma carta da Direção Geral da Concorrência da Comissão Europeia divulgada esta semana.

A carta, com data de 24 de julho, na sua versão não confidencial, e que foi enviada ao governo anterior, diz que a Comissão Europeia (CE) "conclui que, com base na informação disponível à data da presente decisão, tem dúvidas quanto à compatibilidade com o mercado interno do auxílio estatal recebido pelo Banif".

Bruxelas pedia assim ao executivo português, na altura liderado por Pedro Passos Coelho, que "apresente as respetivas observações e forneça toda e qualquer informação que possa contribuir para apreciar a compatibilidade do auxílio".

Aliás, a Comissão considera que os riscos de execução do projeto de plano de reestruturação "são substanciais e constituem uma ameaça ao potencial do Banif de atingir a rentabilidade almejada".

Na sua apreciação ao plano de reestruturação do Banif, atualmente detido pelo Estado, com uma participação de 60,5%, a Comissão Europeia "tem dúvidas" quanto ao facto de o atual projeto "fornecer uma base sólida para garantir a viabilidade do banco no seu conjunto dentro do período de reestruturação e de estar em condições de reembolsar ou remunerar devidamente o auxílio estatal".

Num tom particularmente crítico, a carta de Bruxelas explicita que as dúvidas suscitadas "baseiam-se num conjunto de insuficiências identificadas no projeto de plano de reestruturação".

A mais significativa, segundo a CE, é, por exemplo, em termos externos ao banco, a vulnerabilidade do sistema financeiro português "em virtude da fraca rentabilidade e da deterioração em curso da qualidade dos seus ativos", questionando "se as projeções do Banif serão suficientemente conservadoras".

Para Bruxelas, o projeto de plano de reestruturação do Banif "não fornece informações suficientemente circunstanciadas sobre os motivos que estão na base da decisão de manter determinadas regiões geográficas e abandonar outras".

Na carta pode ler-se ainda que "é óbvio que mesmo um desvio ínfimo das ROE [indicador financeiro percentual que se refere à capacidade de uma empresa em agregar valor a ela mesma utilizando os seus próprios recursos] projetadas" poria "em perigo a rentabilidade do banco e o seu potencial de angariar capital pelos seus próprios méritos".

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.