sicnot

Perfil

Economia

Bruxelas diz que há "riscos substanciais" no Banif

Bruxelas considera que existem "riscos substanciais" no plano de reestruturação do Banif e tem "dúvidas" de que o banco tenha viabilidade, segundo uma carta da Direção Geral da Concorrência da Comissão Europeia divulgada esta semana.

A carta, com data de 24 de julho, na sua versão não confidencial, e que foi enviada ao governo anterior, diz que a Comissão Europeia (CE) "conclui que, com base na informação disponível à data da presente decisão, tem dúvidas quanto à compatibilidade com o mercado interno do auxílio estatal recebido pelo Banif".

Bruxelas pedia assim ao executivo português, na altura liderado por Pedro Passos Coelho, que "apresente as respetivas observações e forneça toda e qualquer informação que possa contribuir para apreciar a compatibilidade do auxílio".

Aliás, a Comissão considera que os riscos de execução do projeto de plano de reestruturação "são substanciais e constituem uma ameaça ao potencial do Banif de atingir a rentabilidade almejada".

Na sua apreciação ao plano de reestruturação do Banif, atualmente detido pelo Estado, com uma participação de 60,5%, a Comissão Europeia "tem dúvidas" quanto ao facto de o atual projeto "fornecer uma base sólida para garantir a viabilidade do banco no seu conjunto dentro do período de reestruturação e de estar em condições de reembolsar ou remunerar devidamente o auxílio estatal".

Num tom particularmente crítico, a carta de Bruxelas explicita que as dúvidas suscitadas "baseiam-se num conjunto de insuficiências identificadas no projeto de plano de reestruturação".

A mais significativa, segundo a CE, é, por exemplo, em termos externos ao banco, a vulnerabilidade do sistema financeiro português "em virtude da fraca rentabilidade e da deterioração em curso da qualidade dos seus ativos", questionando "se as projeções do Banif serão suficientemente conservadoras".

Para Bruxelas, o projeto de plano de reestruturação do Banif "não fornece informações suficientemente circunstanciadas sobre os motivos que estão na base da decisão de manter determinadas regiões geográficas e abandonar outras".

Na carta pode ler-se ainda que "é óbvio que mesmo um desvio ínfimo das ROE [indicador financeiro percentual que se refere à capacidade de uma empresa em agregar valor a ela mesma utilizando os seus próprios recursos] projetadas" poria "em perigo a rentabilidade do banco e o seu potencial de angariar capital pelos seus próprios méritos".

Lusa

  • Explosão em restaurante no Canadá causa pelo menos 15 feridos, 3 graves
    0:56

    Mundo

    Pelo menos 15 pessoas ficaram feridas numa explosão em Mississauga, Ontário, no Canadá. Três vítimas estão em estado grave. Os feridos foram levados para vários hospitais da zona. De acordo com as autoridades, a explosão foi causada por dois homens, com cerca de 20 anos, num restaurante indiano, que fugiram do local depois do ataque. A zona foi evacuada e a polícia está a investigar o caso.

    Em atualização

  • Congresso do PS começa hoje na Batalha

    País

    O 22.º Congresso do PS começa hoje, na Batalha, distrito de Leiria, e durante o qual o secretário-geral, António Costa, deverá defender uma linha de continuidade estratégica, procurando, em simultâneo, projetar desafios estruturais que se colocam ao país.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • Juiz impede acesso a informações bancárias e e-mails de António Mexia
    1:50

    País

    No inquérito crime que investiga a EDP, continua um braço de ferro entre o Ministério Público e o juiz de instrução. O magistrado voltou a negar o acesso a informações bancárias e a e-mails de António Mexia, que constavam dos processos da Operação Marquês e do universo Espírito Santo.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC