sicnot

Perfil

Economia

Confiança dos consumidores diminui "expressivamente" em novembro

O indicador de confiança dos consumidores diminuiu "expressivamente" em novembro, depois de ter estabilizado no valor mais elevado desde abril de 2001 e o clima económico voltou também a agravar-se, segundo dados hoje divulgados pelo INE.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística, o indicador de confiança dos consumidores (calculado através de inquéritos a particulares) piorou em novembro, alcançando os -13,7 pontos (-11,2 pontos observados em outubro) e invertendo a tendência ascendente observada desde o início de 2013.

O indicador de clima económico (calculado através de inquéritos a empresas de vários setores de atividade), por sua vez, voltou a agravar-se em novembro para os 0,9 pontos (dos 1,2 pontos observados em outubro e depois de dois meses de estabilização).

"No mês de referência, o indicador de confiança diminuiu em todos os setores, Indústria Transformadora, Comércio, Construção e Obras Públicas e Serviços, de forma significativa nos últimos dois casos", sinaliza o INE.

Os indicadores de confiança do INE são calculados através de médias móveis de três meses dos saldos de respostas extremas a inquéritos. Um número negativo significa que houve mais respostas pessimistas do que otimistas.

A Comissão Europeia divulgou também hoje que o indicador de sentimento económico estagnou na zona euro em novembro e recuou na União Europeia (UE) e em Portugal.

Segundo dados da Direção-Geral de Assuntos Económicos e Financeiros da Comissão Europeia, o sentimento económico manteve-se estável na zona euro nos 106,1 pontos em novembro, face a outubro, e recuou 0,1 pontos na UE para os 107,6.

Em Portugal, o indicador contraiu 1,7 pontos em novembro, para os 103,6.

O indicador de sentimento económico calculado pelo gabinete de estatísticas da Comissão Europeia mede a confiança e as expectativas dos consumidores e empresas quanto à economia.

O INE e a Comissão Europeia usam metodologias diferentes para calcular os seus indicadores.

Lusa

  • "Nos últimos 14 anos alertámos que este dia iria voltar"
    3:50

    País

    O vice-presidente da Câmara de Mação diz que se sente humilhado com o recurso a meios espanhóis para o combate ao fogo no concelho. Em entrevista à SIC, António Louro, que é também engenheiro florestal, critica os vários governos e afirma que nada disto teria acontecido se tivessem ouvido os apelos desesperados da autarquia depois do incêndio que, em 2003, destruiu grande parte do concelho.

  • Marcelo lembra ditadura para deixar elogios à liberdade de imprensa e separação de poderes
    0:29
  • André Ventura rejeita acusações de xenofobia
    1:27

    País

    O candidato do PSD à Câmara de Loures diz que tocou num tema que as pessoas queriam discutir. Entrevistado na SIC Notícias, André Ventura insiste que as declarações que fez sobre a comunidade cigana não são xenófobas ou racistas.

  • Rajoy nega conhecimento de financiamentos ilegais no PP

    Mundo

    O primeiro-ministro espanhol negou hoje ter conhecimento de um esquema ilegal de financiamento, que envolve vários responsáveis do Partido Popular (PP, direita), que lidera. Durante uma audição no tribunal, Mariano Rajoy garantiu ainda que não aceitou nenhum pagamento ilícito.