sicnot

Perfil

Economia

Taxas aeroportuárias aumentam hoje em Lisboa e no Porto

As taxas aeroportuárias aumentam hoje 5,38% no aeroporto de Lisboa e 1,90% no aeroporto do Porto, decorrente de um crescimento do tráfego acima do previsto, segundo a ANA - Aeroportos de Portugal.

Segundo a empresa liderada por Ponce de Leão, que desde o início de 2013 está nas mãos do grupo francês Vinci, este ajustamento tarifário resulta de um aumento do tráfego nestes dois aeroportos acima do previsto em 2014, um desvio de 4,6% na Portela e de 9,2% no aeroporto Francisco Sá Carneiro.

"O tráfego acumulado à data de 31 de maio é superior ao previsto em 2014 e as perspetivas de evolução para o verão IATA indiciam um desempenho no segundo semestre que irá acentuar ainda mais esta tendência", lê-se na decisão da gestora aeroportuária.

Ainda assim, a ANA esclarece que este aumento é "apenas uma recuperação parcial" do desvio, correspondente a 36% do desvio apurado em Lisboa e 8,36% no Porto.

"Esta decisão tarifária está em linha com o já ocorrido em 2014 e evitará avolumar o valor das taxas não cobradas às companhias aéreas, a recuperar dois anos mais tarde, e promove uma evolução tarifária mais estável das taxas entre 2015 e 2016, ao mesmo tempo que mantém suficiente margem de segurança para absorver, caso ocorra, qualquer abrandamento no ritmo de crescimento de tráfego daqueles aeroportos", acrescenta.

A 01 de janeiro, haverá um novo aumento das taxas reguladas nos aeroportos portugueses, que se traduz numa subida média anual de 2,82%, sendo 4,44% em Lisboa, 1,41% no Porto, 0,73% nos Açores e 0,89% em Faro. Já no aeroporto da Madeira, as taxas sofrerão uma redução de 1,02% no próximo ano, sendo o único em que se verifica uma descida.

Em termos absolutos, o aumento da receita regulada por passageiro é em média de 27 cêntimos na rede ANA, oscilando entre cinco cêntimos nos Açores e os 46 cêntimos em Lisboa, o acréscimo mais relevante.

Lusa

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11