sicnot

Perfil

Economia

Ministro alemão das Finanças espera confirmação de garantias sobre contas portuguesas

O ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schauble, afirmou hoje esperar poder retribuir os cumprimentos ao novo governo português quando se confirmarem as garantias dadas em Bruxelas pelo novo titular das contas nacionais, Mário Centeno.

Reuters

Reuters

© Brendan McDermid / Reuters

Questionado na conferência de imprensa depois da realização da reunião do Eurogrupo e do Ecofin, Schauble começou por lembrar a "relação de confiança muito boa" que manteve com António Costa, enquanto ministro de Estado e da Administração Interna (2005-2007).

"Ele (António Costa) enviou-me os seus cumprimentos através do meu novo colega (Mário Centeno). E se o meu colega cumprir aquilo que disse, ele também vai receber os meus cumprimentos", afirmou o ministro alemão.

Como é habitual, o novo titular das finanças "apresentou o programa do novo governo, como é habitual no Eurogrupo, e disse que Portugal vai cumprir as suas obrigações no Pacto de Estabilidade", relatou Schauble, acrescentando que "está tudo bem".

O ministro ainda notou que, tal como a sua antecessora, Maria Luís Albuquerque, Mário Centeno também se senta ao seu lado nas reuniões dos ministros responsáveis pela Economia e Finanças dos Estados-membros da União Europeia (Ecofin).

Mário Centeno que participou, pela primeira vez, esta segunda-feira, na reunião dos países da zona euro (Eurogrupo).

Aos jornalistas portugueses, o governante referiu que o projeto de Orçamento do Estado para 2016 "vai ser entregue no início de janeiro (em Bruxelas), em consonância com o trabalho que o Governo vai realizar também para apresentar o mais depressa possível no parlamento português".

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite