sicnot

Perfil

Economia

Salário mínimo em Portugal a meio da tabela na UE em 11º lugar

Portugal está entre os países da União Europeia com salários mínimos mensais entre os 500 e os 1.000 euros, ficando a meio da tabela, na 11.ª posição, com uma remuneração mínima de 589 euros por mês.

(Lusa/ Arquivo)

(Lusa/ Arquivo)

LUSA

De acordo com o Eurostat, a 01 de janeiro de 2015, 22 dos 28 Estados-membros da União Europeia tinham salário mínimo, os quais oscilavam entre os 184 euros por mês na Bulgária e os 1.923 euros no Luxemburgo.

Em Portugal, o salário mínimo é de 505 euros mas - tal como em Espanha e na Grécia, por exemplo - é pago 14 vezes ao longo do ano. Assim, para garantir que os valores são comparáveis, o Eurostat considera um valor anual do salário mínimo, mas pago apenas em 12 meses, pelo que o valor para Portugal é de 589 euros.

Portugal está no grupo de países com salários mínimos mensais entre os 500 e os 1.000 euros, juntamente com a Grécia (684 euros), Malta (720 euros), Espanha (757 euros) e a Eslovénia (791 euros), sendo o país desta categoria com a remuneração mínima mensal mais baixa.

Com salários mínimos ainda mais baixos estão outros 10 países: a Bulgária (184 euros), a Roménia (218 euros), a Lituânia (300 euros), a República Checa (332 euros), a Hungria (333 euros), a Letónia (360 euros), a Eslováquia (380 euros), a Estónia (390 euros), a Croácia (396 euros) e a Polónia (410 euros).

No lado oposto da tabela estão os restantes sete países, que têm um salário mínimo superior aos 1.000 euros mensais, sendo o grupo liderado pelo Luxemburgo (1.923 euros), seguindo-se a Bélgica e a Holanda (1.502 euros), a Alemanha (1.473 euros), a Irlanda (1.462 euros), França (1.468 euros) e o Reino Unido (1.379 euros).

Estes números indicam que há uma grande disparidade de país para país em termos absolutos, mas revelam também que estas diferenças são "consideravelmente menores" se forem eliminadas as diferenças do nível de preços.

Tendo em conta a paridade de preços, a disparidade entre salários mínimos mensais passa de um rácio de 1 para 10 para um rácio de 1 para 4, segundo o gabinete de estatísticas europeu.

Ainda assim, mesmo em paridade de preços, Portugal continua a estar a meio da tabela, tendo o 10.º salário mínimo mais baixo entre os 22 países.

A Bulgária continua a ser o país com salário mínimo mais baixo e o Luxemburgo mantém-se como o país em que esta remuneração é mais elevada entre os países da União Europeia, eliminando as diferenças do nível de preços.

As estatísticas do Eurostat indicam ainda que, em termos relativos, os salários mínimos de Portugal e de França correspondem a 60% das remunerações médias de cada país, ao passo que na República Checa e na Estónia equivalem a 40% e em Espanha a 41%.

Comparando com os valores registados em 2008, verifica-se que os salários mínimos mensais aumentaram em todos os Estados-membros, exceto na Grécia (caíram 14%) e na Irlanda (mantiveram-se).

Os países em que o salário mínimo mensal mais aumentou foram na Roménia (95%), na Bulgária (64%), na Eslováquia (58%) e na Letónia (57%), sendo que, em Portugal, o salário mínimo aumentou 19% entre 2008 e 2015.

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada desde domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.