sicnot

Perfil

Economia

Sorteio da Fatura da Sorte vai manter-se em 2016

O sorteio Fatura da Sorte, criado em 2014 para incentivar os contribuintes a pedirem fatura, auxiliando no combate à fraude e evasão fiscal, vai manter-se no próximo ano, disse o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais.

Os dois primeiros sorteios da Fatura da Sorte foram realizados em abril de 2014 (SIC/ Arquivo)

Os dois primeiros sorteios da Fatura da Sorte foram realizados em abril de 2014 (SIC/ Arquivo)

Em declarações ao jornal Diário de Notícias/Dinheiro Vivo, Fernando Rocha Andrade, que tutela os assuntos fiscais no governo liderado por António Costa, reconhece que o sorteio tem tido "um papel relevante no combate à fraude e evasões fiscais, pelo que se justifica a sua continuidade".

O lançamento do sorteio da Fatura da Sorte mereceu, segundo o DN, críticas da direção do PS liderada em 2014 por António José Seguro.

O regulamento do concurso, refere a notícia, prevê a atribuição de um prémio (sem o especificar) aos contribuintes que pedem fatura e lhe associam o seu número de identificação fiscal (NIF), limitando apenas o valor anual que pode ser gasto em prémios - dez milhões de euros, incluindo imposto de selo.

Até ao momento foram sorteados 97 carros de gama alta - um Audi A4, sendo hoje sorteado o 98.º entre os contribuintes que em setembro fizeram compras, pediram fatura e lhe colocaram o seu NIF, sendo até ao final do ano distribuídos mais seis carros, três em extrações normais e outros tantos em sorteios extraordinários.

Não se sabe se no próximo ano o prémio - um carro de gama elevada - será o mesmo. A decisão final é uma das questões que irão ser avaliadas por Fernando Rocha Andrade.

O valor para pagar a Fatura da Sorte é transferido anualmente através do Orçamento do Estado, sendo a atribuição dos prémios antecedida pelo lançamento de um procedimento de contratação pública.

De acordo com o Diário de Notícias, nas contas do antigo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, as medidas de combate à fraude e evasões fiscais terão contribuído com cerca de 45% do acréscimo de receita em impostos em 2014, ou seja, com 750 milhões de euros.

Entre 2013 e 2014, o número de faturas comunicadas ao fisco aumentou 12,3% (passando de 4,28 mil milhões para 4,80 mil milhões) e as faturas com NIF (as relevantes para o sorteio) subiram 36,3 %, ultrapassando 635 milhões.

Lusa

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.