sicnot

Perfil

Economia

Parlamento Europeu recebe presidente do Eurogrupo pela primeira vez

Os eurodeputados recebem, em Estrasburgo, França, a estreia do presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, num debate no hemiciclo, onde esta semana será entregue o Prémio Sakharov.

© Eric Vidal / Reuters

Os trabalhos do Parlamento Europeu começam hoje com um debate sobre a União Europeia da Energia e sobre o objetivo de 10% de interligação elétrica, o que poderá resultar numa poupança para os consumidores "entre 12 a 40 mil milhões de euros por ano em 2030".

Na terça-feira, Dijsselbloem debate com os eurodeputados e representantes da Comissão e do Conselho as prioridades económicas e sociais para 2016, incluídas na Análise Anual do Crescimento, enquanto à tarde, Frans Timmermans, vice-presidente da Comissão Europeia, apresentará novas propostas sobre o reforço dos controlos nas fronteiras externas do espaço Schengen, como a criação de guardas fronteiriços.

No mesmo dia, o Parlamento Europeu deve aprovar o acordo celebrado entre a União Europeia (UE) e Timor-Leste para a isenção de vistos.

Na quarta-feira de manhã, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e um representante do Conselho Europeu discutirão migrações, crise dos refugiados, terrorismo, a União Económica e Monetária ou o referendo sobre se o Reino Unido continua no espaço comunitário.

Estes são alguns dos temas que marcarão a agenda da última cimeira de 2015 dos chefes de Estado e do Governo do ano, que decorrerá entre quinta e sexta-feira, em Bruxelas.

No mesmo dia, Ensaf Haidar receberá em nome do seu marido, o blogger saudita Raif Badawi, condenado a dez anos de prisão, o Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento 2015.

Lusa

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalaram-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.