sicnot

Perfil

Economia

Presidente do Fosun está a participar na reunião anual do grupo

O presidente do grupo chinês Fosun, detentor de várias empresas em Portugal e que na quinta-feira foi dado como incontactável na China, já regressou a casa, estando hoje a participar da reunião anual da empresa.

Reuters

Segundo avançou a Caixin, considerada a mais independente revista financeira da China, Guo Guangchang foi recebido com dois minutos de aplausos pelos vários elementos do Fosun, que hoje estão reunidos em Xangai.

Guo esteve incontactável durante todo o fim de semana, após ter estado "a cooperar com as autoridades chinesas numa investigação judicial", segundo um comunicado da empresa enviado à agência Lusa em Pequim.

Fonte do grupo chinês, que detém em Portugal a seguradora Fidelidade e a Espírito Santo Saúde, recusou-se a confirmar a notícia avançada pela Caixin.

"A reunião é um assunto interno da empresa", justificou.

Citado pelo jornal oficial China Daily, Wang Qunbin, presidente do Fosun International, empresa matriz do grupo, detalhou que a investigação diz mais respeito a assuntos pessoais de Guo do que a operações do consórcio.

Já o vice-presidente e um dos quatro fundadores do Fosun, Liang Xinjun, frisou que o grupo continua a operar dentro da normalidade e que nos últimos dias Guo tem participado de várias decisões importantes.

Entretanto, as ações do Fosun International na bolsa de Hong Kong, cujas negociações estiveram suspensas na sexta-feira, abriram hoje a cair 13,5%.

Guo foi, alegadamente, detido na quinta-feira à chegada a Xangai num voo proveniente de Hong Kong, segundo escreveu a agência oficial chinesa Xinhua, que não confirmou se o empresário está a ser investigado ou a prestar assistência numa investigação.

Com uma fortuna pessoal de 6,61 mil milhões de euros, Guo Guangchang é o 11.º homem mais rico da China, segundo dados publicados pela revista norte-americana Forbes.

Em Portugal, além da Fidelidade e da Espírito Santo Saúde, reconvertida em Luz Saúde, o Fosun detém uma participação de 5,3% na REN e foi um dos candidatos à compra do Novo Banco, até as negociações terem sido suspensas pelo Banco de Portugal.

No último ano, segundo os dados compilados pela agência Bloomberg até julho, o gigante empresarial, dono do Club Mediterranee, anunciou 10 aquisições num total de 6,4 mil milhões de dólares (5,6 mil milhões de euros).

Até ao momento, o Fosun não detalhou o motivo pelo qual o multimilionário chinês está a cooperar com as autoridades.

Lusa