sicnot

Perfil

Economia

Armadores dizem que acordo alcançado em Bruxelas "é uma vitória"

O presidente da Associação dos Armadores das Pescas Industriais considerou hoje que o acordo alcançado em Bruxelas sobre um aumento de 11,4% em 2016 das capturas em águas portuguesas "é uma vitória e uma janela de esperança".

(Arquivo)

(Arquivo)

© Nacho Doce / Reuters

Os pescadores portugueses poderão capturar, em 2016, em águas nacionais mais 11,4% de pescado do que este ano, num total de 63.524 toneladas, foi acordado esta madrugada em Bruxelas após uma longa maratona negocial.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Associação dos Armadores das Pescas Industriais (ADAPI), Pedro Jorge, disse que, "sem euforias", "é uma vitória que tem de ser realçada".

"Penso que, globalmente, podemos dizer que temos aqui uma janela de esperança. (...) A senhora ministra do Mar [Ana Paula Vitorino] não conseguiu o ótimo, mas conseguiu o bom", frisou.

Pedro Jorge lembrou que a proposta da Comissão Europeia (CE) era extremamente negativa porque retirava a Portugal a possibilidade de pesca num conjunto de espécies que são importantes para o país e iria causar "grandes prejuízos económicos para os trabalhadores, empresas e para o país".

No entender de Pedro Jorge, a ministra do Mar conseguiu reverter um conjunto de propostas nomeadamente o da pescada em que a redução era de 62% e ficou-se pelos 25%.

"No caso da raia (que gostaríamos que tivesse crescido) conseguiu-se que se mantivesse, mas melhor ainda foi que os pescadores portugueses possam descarregar em cada maré uma quantidade limitada de raia curva. Isto foi uma vitória muito importante", salientou.

No que diz respeito ao lagostim, sublinhou o responsável, passou-se para mais 26%, "o que é muito importante, e no caso do biqueirão conseguiu-se uma folga que é utilizada para fazer permutas com outros estados membros".

"Agora, o que é que não se conseguiu? Não conseguimos no tamboril. Minimizou-se a redução de 19 para 10%, e no areeiro, que gostaríamos de ter visto crescer a quota, também ficámos pelos mesmos valores. Contudo, penso que globalmente podemos dizer que temos aqui uma janela de esperança", concluiu.

Segundo o acordo, o carapau é o peixe que pode ser mais capturado, tendo sido autorizada a pesca de 50.839 toneladas, seguindo-se o biqueirão (5.542 toneladas) e a pescada (3.097 toneladas).

A quota de lagostim, um marisco com elevado valor comercial, sobe 26%, acima dos 20% inicialmente propostos pela CE, e a de raias mantém-se, quando inicialmente estava previsto um corte de 10%.

Também no caso do tamboril, o corte de 19% foi suavizado para 14%, após cerca de 40 horas de negociações, que começaram na segunda-feira de manhã e terminaram pelas 02:00 de hoje.

A pescada é o 'stock' que mais desce, com um corte de 25% (inicialmente estava proposto um de 61%), havendo ainda uma baixa de 1% nas capturas de areeiro em águas portuguesas.

Depois do lagostim (26%), o carapau é a espécie que tem o maior aumento de quota de pesca (15%), seguido do biqueirão (10%).

Lusa

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.