sicnot

Perfil

Economia

CGTP quer aumento de salários no setor privado em 2016

A CGTP marcou hoje um Plenário Nacional de Sindicatos para 14 de janeiro para impulsionar a reivindicação de aumentos generalizados dos salários no setor privado no próximo ano, informou a central sindical.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

Reuters (Arquivo)

"Queremos realizar um grande plenário de sindicatos a 14 de janeiro para dar impulso à reivindicação do aumento generalizado dos salários e para incentivar à participação no nosso congresso, que se realiza a 26 e 27 de fevereiro", disse à agência Lusa o secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, no final de uma reunião do Conselho Nacional da central.

Arménio Carlos explicou que o objetivo é apelar à participação dos trabalhadores, que considerou fundamental, para "um aumento generalizado dos salários no setor privado".

Este é um dos eixos estratégicos definidos hoje pela CGTP para concretizar até ao congresso, com o intuito de "melhorar a distribuição da riqueza", acrescentou o dirigente sindical.

E destacou: "Vamos defender um aumento generalizado dos salários no setor privado porque ele é fundamental para o reequilíbrio da distribuição da riqueza, que contribuirá para o desenvolvimento económico do país e para a coesão social".

Para o sindicalista, este aumento generalizado das remunerações "pode ser um investimento com retorno", porque os trabalhadores vão poder consumir mais e as empresas poderão, assim, criar mais emprego e dinamizar a economia.

O Conselho Sindical da CGTP decidiu ainda "dinamizar fortemente a ação reivindicativa no primeiro semestre do próximo ano", apostando na revitalização da contratação coletiva, avançou.

Com esse objetivo, as estruturas sindicais da central já entregaram milhares de propostas reivindicativas aos representantes patronais, revelou Arménio Carlos.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15