sicnot

Perfil

Economia

Câmara de Lisboa adia início da cobrança da taxa turística sobre chegadas

A Câmara de Lisboa decidiu adiar a aplicação da taxa turística nas chegadas à capital por ainda não saber como vai cobrá-la no aeroporto, disse hoje à Lusa o vereador das Finanças, estimando que a medida arranque em abril.

© Hugo Correia / Reuters

"Sobre a taxa turística de chegadas, que estava prevista entrar em funcionamento no dia 01 de janeiro, por questões operacionais não vai ser possível iniciar a sua execução nesse dia. Estamos ainda em negociações com a ANA [Aeroportos de Portugal] e a iniciar conversações com o Governo sobre esta matéria", afirmou João Paulo Saraiva.

De acordo com o autarca, há "uma questão essencialmente operacional" que tem de ser analisada no caso das chegadas ao aeroporto e que não se coloca no porto de Lisboa, onde é "mais fácil" começar a cobrar a taxa.

Nas chegadas por via marítima, já se pensa em aplicá-la "diretamente aos operadores dos cruzeiros", que, por sua vez, a farão refletir "nos preços e na faturação aos seus clientes", referiu João Paulo Saraiva.

Contudo, a Câmara não quer começar a aplicar uma sem a outra, segundo o autarca: "Só lá para fevereiro ou março é que teremos uma solução e que falaremos novamente sobre o assunto. Até lá, vamos estar a discutir como operacionalizá-la e a perceber essa forma de operacionalizar".

Já a taxa turística sobre as dormidas na cidade entra em vigor no início de janeiro.

Lusa

  • "Não partilhei SMS com ninguém"
    0:43

    Caso CGD

    António Domingues afirma que nunca revelou o conteúdo das mensagens trocadas com o ministro das Finanças sobre a entrega das declarações de património ao Tribunal Constitucional. O tema dos SMS foi abordado pelo ex-presidente da Caixa na sequência de uma pergunta do PCP sobre declarações feitas por António lobo Xavier no programa da SIC Notícias "Quadratura do Círculo".

  • "As regras europeias de bem estar animal são dogmas", diz diretor-geral de Veterinária
    1:32

    País

    O diretor-geral de Alimentação e Veterinária considera que as regras de bem estar animal que existem na União Europeia (UE) "parecem configurar uma transfiguração antropomórfica dos animais". Em declarações à SIC, a propósito da exportação de animais vivos para países terceiros, que têm outras regras de abate, Fernando Bernardo defendeu ainda que o método usado em Israel provoca uma insensibilização mais rápida do que o praticada na UE.

  • PAN questiona Governo sobre aposta na exportação de animais vivos para o Médio Oriente
    1:56

    País

    O partido Pessoas-Animais-Natureza lembra que à luz do Regulamento nº. 1/2005 do Conselho Europeu, os estados-membros da União Europeia (UE) devem evitar transportar animais vivos em viagens de longo curso. O deputado André Silva considera, por isso, que "o Estado português está a incumprir o regulamento" ao fomentar estas viagens, numa clara aposta económica em torno da exportação de animais vivos para Israel e outros destinos fora da UE. Para o deputado do PAN, é muito difícil ou "mesmo impossível assegurar o bem estar dos animais" em viagens de vários dias.

  • Trump pensou que presidência "seria mais fácil"

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos Donald Trump afirmou que a Presidência é mais difícil do que pensava e que tem saudades da vida que levava antes, em entrevistas a propósito dos primeiros 100 dias em funções.