sicnot

Perfil

Economia

Há 40 milhões de euros em contas na Suíça sem herdeiros

A associação dos banqueiros suíços (ABS) publicou hoje, pela primeira vez, na Internet, uma lista de contas bancárias sem herdeiros conhecidos, nas quais não se registam movimentos desde 1955, no valor de 40 milhões de euros.

(Reuters/ Arquivo)

A ABS acrescentou que os eventuais herdeiros tem entre um e cinco anos para se manifestarem.

Esta lista conta mais de 2.600 nomes, entre proprietários individuais e entidades, e representa um valor total de 44 milhões de francos suíços (40 milhões de euros), aos quais se junta o conteúdo de 80 cofres, indicou a ABS.

A Suíça tinha publicado, no passado, listas de contas sem herdeiros, mas com ligações diretas com as vítimas do Holocausto.

A publicação desta lista, que será atualizada todos os anos, é uma consequência de uma nova lei suíça sobre contas sem herdeiros.

A nova lei prevê também a transferência para a Confederação dos bens sem herdeiros nem movimento após pelo menos 60 anos.

Lusa

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.