sicnot

Perfil

Economia

Mais de 105 mil pessoas perderam direito aos Rendimento Social de Iinserção em 4 anos

Mais de 105 mil pessoas perderam o direito a receber o Rendimento Social de Inserção (RSI) nos últimos quatro anos, havendo atualmente mais de 206 mil beneficiários, segundo dados do Instituto de Segurança Social (ISS) hoje divulgados.

(Arquivo)

(Arquivo)

Os dados da Segurança Social, que não eram atualizados desde julho na sua página da internet, referem que em novembro 206.163 pessoas recebiam o RSI, menos 150 face ao mês anterior (-0,07%) e menos 232 relativamente ao mês homólogo de 2014 (-0,11%).

Comparando com novembro de 2011, verifica-se uma quebra de 51% no número de beneficiários que beneficiam desta prestação social.

De acordo com a informação disponível na página da internet do ISS, com dados atualizados a 16 de dezembro, em novembro de 2011 havia 311.333 pessoas com direito a RSI, mais 105.170 beneficiários do que em novembro deste ano.

A maior parte dos beneficiários reside no distrito do Porto (60.151), seguido do distrito de Lisboa (36.616), dos Açores (17.865) e do distrito de Setúbal (17.472).

Segundo a Segurança Social, o número de famílias com direito ao RSI baixou 26,1% nos últimos quatro anos, passando de 117.465 em novembro de 2011, para 93.132 em novembro deste ano.

Face ao mês de outubro, menos 78 famílias beneficiaram desta prestação social em novembro (-0.08%). Relativamente ao mês homólogo do ano anterior, essa quebra foi de 3,4%, o que se traduziu em menos 3.216 famílias a receberem RSI.

As famílias estão maioritariamente concentradas nos distritos do Porto (27.333), Lisboa (18.873) e Setúbal (8.015) e nos Açores (6.186).

O valor médio recebido por cada beneficiário em novembro fixou-se nos 94,74 euros e por família em 214,04 euros.

Lusa

  • Negócios do fogo
    22:00
  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.

  • "Meninas proibidas de usar saias curtas e roupa transparente" para evitar abusos em Timor
    0:50
  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43