sicnot

Perfil

Economia

Passos questiona Costa sobre saída da Maersk de Portugal

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, questionou hoje o primeiro-ministro, António Costa, sobre a alegada saída da Maersk de Portugal e sobre as metas orçamentais, considerando insuficiente a redução do défice para 2,8% em 2016.

Armando Franca

O facto de ser Pedro Passos Coelho a interpelar António Costa no debate quinzenal de hoje causou alguma surpresa, por contrariar notícias divulgadas na véspera do debate.

Depois de falar das metas do défice, o ex-primeiro-ministro voltou a contestar a estratégia económica do Governo do PS, afirmando: "É muito difícil incutir confiança aos agentes económicos quando os verbos que a maioria que agora apoia o Governo mais gosta de conjuntar são repor, reverter, revogar e eliminar".

"Quando tudo isto acontece, qual é a consequência, senhor primeiro-ministro? É aquela que já é visível. A Maersk, uma das empresas de logística com mais relevância em todo o mundo, já anunciou que vai sair de Portugal e com isso pode, como já foi reconhecido pelo senhor ministro, criar aqui um grave problema para Portugal e para as empresas portuguesas", acrescentou.

Passos referiu, depois, que "duas agências de notação financeira chamaram já a atenção para as consequências do lado da consolidação orçamental e da prossecução das reformas estruturais, para aquilo que são os sinais que o Governo está a dar, dizendo mesmo que poderão cortar o 'rating'".

"Ora, isso é tudo o que nós dispensamos para poder atrair mais investimento", comentou.

Dirigindo-se ao primeiro-ministro, perguntou-lhe: "Como é que compatibiliza os verbos que a maioria que aqui no parlamento apoia o Governo mais gosta de conjugar com aquilo que são os objetivos que os investidores estão à espera de ouvir?".

Na resposta, sem abordar a questão da Maersk, António Costa reafirmou a intenção de aplicar "uma nova política" económica.

"Pois vamos repor rendimentos, pois vamos reverter a asfixia fiscal sobre a classe média, e vamos revogar os cortes na pensões e nos salários dos funcionários públicos, e assim teremos um caminho mais sólido para a economia portuguesa", declarou.

Em relação às metas orçamentais, Passos Coelho cumprimentou o Governo do PS por assumir a redução do défice para menos de 3% este ano através de "medidas que cabem na boa gestão corrente".

Contudo, considerou que a meta de 2,8% fixada para 2016 significa "manter inalterado o resultado do défice" e pode não ser compatível com as regras do Tratado Orçamental e do Semestre Europeu: "Não me parece que essa compatibilidade exista".

António Costa começou por saudar a estreia do presidente do PSD na oposição parlamentar ao seu Governo: "Muito obrigado senhor deputado Pedro Passos Coelho, a quem saúdo cordialmente, e com quem inicio, agora em novas condições, o diálogo".

Em seguida, aproveitou para dizer que a última vez e única que Portugal teve um défice inferior a 3% "foi em 2007" - durante a governação do PS, com José Sócrates como primeiro-ministro.

"Recordo-me bem pelo singelo facto de ter sido o último ano que estive no Governo", referiu António Costa.

O primeiro-ministro frisou o empenho do seu Governo na redução do défice e sustentou que "não há ninguém nesta câmara que defenda o contrário", afirmação que provocou risos na bancada do PSD.

"Esse deve ser um objetivo prosseguido, e desejando que, naturalmente, no processo, infelizmente habitual, de reclassificação de despesas e de receitas, não venha daqui a uns anos este défice a ser revisto, como anos depois foi revisto o défice abaixo dos 3% obtido em 2007", acrescentou.

Quanto ao défice deste ano, o primeiro-ministro apontou o dedo à anterior governação PSD/CDS-PP: "Apesar de o Governo anterior ter falhado a meta orçamental a que se tinha proposto, nós tudo faremos para cumprir a meta orçamental a que nos propusemos".

Lusa

  • Pablo Bravo: o chileno suspeito de um assalto milionário em Gaia
    6:01

    País

    As autoridades receiam um aumento da violência nos assaltos de redes sul-americanas em Portugal, à semelhança do que tem acontecido noutros países europeus. Pablo Bravo é um chileno com um longo cadastro criminal que, em Portugal, é suspeito de um assalto milionário a um hipermercado, em Gaia e, dias depois, foi detido em flagrante, em Paris, a tentar roubar uma loja de relógios de luxo.

    Notícia SIC

  • Obras para as novas instalações da SIC já começaram
    1:54

    País

    As obras do novo estúdio da SIC e SIC Notícias vão começar. A ampliação do edifício do grupo Impresa vai unir os funcionários do grupo num único espaço, com uma área de 750 metros. O Presidente da Câmara de Oeiras entregou esta terça-feira a licença de obra.

  • Cada vez mais pessoas viajam no Carnaval e Páscoa
    3:08

    Economia

    A procura de viagens na altura do Carnaval e Páscoa tem vindo a aumentar e vários destinos já estão esgotados já que muitas pessoas optam por tirar dias de férias nesta altura do ano. Em contagem decrescente, as agências de viagens não têm tido mãos a medir com promoções e ofertas para destinos variados e adequados a várias bolsas.

  • As crianças que estão a morrer à fome em África

    Mundo

    A UNICEF alertou esta terça-feira que a má nutrição aguda que afeta a Nigéria, Somália, Sudão do Sul e Iémen coloca este ano em "iminente" risco de morte 1,4 milhões de crianças devido à fome que existe naqueles países. São milhares de casos de um incessante desespero numa luta diária pela sobrevivência.

  • Mundo tornou-se "mais sombrio e mais instável" em 2016

    Mundo

    O mundo tornou-se em 2016 "um local mais sombrio e mais instável", devido ao agravamento de conflitos como a Síria e dos "discursos do ódio" na Europa e Estados Unidos, considerou hoje a Amnistia Internacional no seu relatório anual.

  • Semáforos no chão para os mais distraídos

    Mundo

    Na cidade holandesa de Bodegraven, está a ser testado um sistema de semáforos para quem usa o telemóvel na rua. Estes semáforos têm a forma de faixas, que são colocadas no chão, e a luz muda de cor consoante o trânsito, tal como os semáforos já existentes.

    André de Jesus

  • Carro "desgovernado" entra em loja e atropela cliente

    Mundo

    O cliente de um mini-mercado no condado de Bronx, em Nova Iorque, sobreviveu de forma incrível ao impacto de um automóvel que entrou loja adentro. Apesar da violência das imagens, o homem sobreviveu e conseguiu mesmo sair da loja pelo próprio pé até ser transportado para o hospital.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.

  • Pulseira deixa sentir os movimentos do bebé ainda na barriga da mãe

    Mundo

    A pulseira Fibo permite que os futuros pais (ou mães) consigam sentir os seus filhos a dar pontapés ainda na barriga da mãe. Desenvolvida por um designer de joias da Dinamarca, a pulseira vai transmitir os movimentos do bebé no útero, de modo a que os pais possam partilhar essa experiência da gravidez.

  • Cães desfilam no Rio de Janeiro
    1:00

    Mundo

    O tradicional cortejo de Carnaval brasileiro só acontece daqui a uns dias, mas no Rio de Janeiro já há inúmeros desfiles pelas ruas. Na praia de Copacabana, os animais mascararam-se de humanos.