sicnot

Perfil

Economia

Soares da Costa avança para despedimento coletivo de 500 trabalhadores

A construtora Soares da Costa vai abrir um processo de despedimento coletivo de cerca de 500 funcionários, disse hoje a empresa numa carta à Comissão de Trabalhadores, justificando a decisão com a crise em Portugal e Angola.

Arquivo SIC

No documento a que a Lusa teve acesso, assinado pelo presidente executivo, Joaquim Fitas, são referidas as "repercussões nefastas" para a empresa da crise e a "estagnação do mercado de construção" em Portugal.

É igualmente referida a quebra de receitas em Angola, o principal mercado da Soares da Costa, "relacionada com a produção petrolífera", o que fez cair o investimento público e privado.

Neste contexto, a empresa considera que é "inevitável o redimensionamento e reestruturação".

Refere ainda a empresa de construção civil que, "mais do que a envolvente externa, é o histórico recente da empresa que a conduz a esta situação", salientando que tem acumulado prejuízos anuais superiores a 60 milhões de euros.

A Soares da Costa é controlada em 66,7% pela GAM Holdings, detida pelo empresário angolano António Mosquito, que entrou no capital da construtora no final de 2013, sendo os restantes 33,3% da SDC -- Investimentos (ex-Grupo Soares da Costa).

Lusa

  • Uma viagem pela Estrada Nacional 236
    2:52
  • A reconstrução depois da tragédia de Pedrógão
    2:43
  • Marcelo reúne-se na quarta-feira com Putin

    País

    O Presidente da República reúne-se na quarta-feira, em Moscovo, com o líder russo, Vladimir Putin, informou este domingo a Presidência. Marcelo Rebelo de Sousa estará na capital da Federação Russa para assistir ao jogo da seleção portuguesa na fase final do Mundial de Futebol com a equipa de Marrocos

  • Novo busto de Ronaldo foi pedido pelo Museu CR7
    2:07
  • Grécia e Macedónia assinam acordo histórico
    2:02

    Mundo

    A Grécia e a Macedónia assinaram um acordo histórico para mudar o nome da antiga República Jugoslava para República da Macedónia do Norte. Em causa está um problema diplomático entre os dois países que dificultou os planos da Macedónia em aderir à União Europeia e às Nações Unidas.