sicnot

Perfil

Economia

Estado gasta quase 12 mil milhões com setor financeiro entre 2008 e 2014

O Estado gastou em apoios públicos ao setor financeiro 11.822 milhões de euros entre 2008 e 2014, tendo o BES/Novo Banco representado 40% dos gastos com a banca, de acordo a Conta Geral do Estado de 2014.

© Dado Ruvic / Reuters

Pela primeira vez, o Tribunal de Contas (TdC) faz um levantamento dos apoios concedidos ao setor financeiro e concluiu que "entre 2008 e 2014 foram concedidos apoios públicos ao setor financeiro cujos fluxos líquidos atingiram no final do período 11.822 milhões de euros negativos".

No período 2008-2014, as despesas públicas com o setor financeiro atingiram cerca de 17.635 milhões de euros (10,2% do Produto Interno Bruto de 2014), tendo por sua vez gerado receitas no montante de 5.813 milhões de euros (3,4% do PIB de 2014).

No total do período, os fluxos líquidos para o setor financeiro atingiram 11.822 milhões de euros (6,8% do PIB de 2014).

Segundo o documento entregue hoje na Assembleia da República, o BES/Novo Banco foi a instituição que recebeu mais ajudas do Estado, num total de 4.685 milhões de euros desde 2008 até 2014, sendo seguido pela CGD que recebeu 3.158 milhões de euros.

O BPN - que entretanto foi vendido ao BIC - surge na terceira posição, tendo entre 2008 e 2014 recebido apoios públicos no valor de 2.784 milhões de euros.

Mas em 2014, o BPN era o que tinha a 31 de dezembro de 2014 mais garantias prestadas pelo Estado, no valor de 3.537 milhões de euros.

Na rubrica das garantias do Estado - que não estão contabilizadas nos apoios públicos concedidos ao setor financeiro - havia ainda a garantia do Estado de 3.500 milhões de euros ao BES, que transitou para o Novo Banco.

O levantamento realizado pelo TdC aos apoios públicos concedidos ao setor financeiro começa em 2008, quando ocorreram as primeiras intervenções - reforço do capital social da CGD, a nacionalização do BPN, a prestação de garantias pessoais do Estado a diversos bancos nacionais e a insolvência do BPP.

O banco liderado por João Rendeiro recebeu 653 milhões de ajudas públicas - o 5.º na lista de beneficiários de apoios públicos -, tendo a maioria resultado de uma garantia de Estado ao empréstimo que seis bancos concederam ao BPP, pouco antes da insolvência.

Em 2012 e 2013 foram utilizadas duas novas formas de apoio, a aquisição de obrigações subordinadas de conversão contingente (CoCos), emitidas por diversos bancos, e a concessão de empréstimos às sociedades veículo do BPN.

Em 2014, a maioria dos apoios públicos ao sistema financeiro consistiram na subscrição do capital do Novo Banco pelo Fundo de Resolução, no valor de 4.900 milhões de euros, ao mesmo tempo que foram concedidos novos empréstimos às sociedades veículo do BPN, no valor de 488,6 milhões de euros.

Lusa

  • Primeiro eclipse solar 100% visível nos EUA em 38 anos
    0:40
  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • Campanha eleitoral em Angola chega hoje ao fim

    Mundo

    Os candidatos às eleições gerais angolanas de quarta-feira terminam hoje um mês de campanha, com milhares de quilómetros percorridos, uma breve aparição de José Eduardo dos Santos e as possíveis coligações em destaque.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08
  • Morreu o rei da comédia
    2:08

    Cultura

    Um dos grandes nomes do humor norte-americano morreu ontem, aos 91 anos. Jerry Lewis era comediante, ator, argumentista, cantor e realizador. Considerado o rei da comédia, Lewis influenciou diferentes gerações de comediantes e foi defensor de várias causas humanitárias, entre as quais a distrofia muscular.

  • A insólita entrevista de Jerry Lewis que se tornou viral
    2:39

    Cultura

    Jerry Lewis concedeu no início deste ano uma entrevista insólita que se tornou viral nas redes sociais. O comediante decidiu, pura e simplesmente, não colaborar com o entrevistado. Lewis tinha na altura 90 anos e continuava a trabalhar, tendo participado no filme "Max Rose", em 2016.