sicnot

Perfil

Economia

Brasil vai importar temporariamente eletricidade do Uruguai

O Brasil vai começar a importar eletricidade do Uruguai, de forma gradual e durante um período que ainda não foi determinado, para colmatar as necessidades internas relacionadas com as temperaturas elevadas do verão austral.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Susana Vera / Reuters

A decisão do Governo brasileiro foi conhecida após a publicação de um decreto no Diário Oficial, pelo Ministério de Minas e Energia, e que reconhece a "necessidade de importação de energia elétrica" do Uruguai, sublinhando que se trata de uma "medida especial e temporária".

O documento não especifica a quantidade de energia elétrica que vai ser adquirida, assim como não define os períodos durante os quais se vai manter a importação a partir das cidades de Rivera e Melo, no Uruguai.

O decreto refere apenas que a quantidade de energia do Uruguai vai ser estabelecida semanalmente apesar de admitir que se possam proceder a ajustes adequados "à programação diária" ou mesmo em função das necessidades "em tempo real".

A medida do executivo brasileiro coincide com o verão austral que regista temperaturas mais elevadas do que as normais, nas últimas semanas, e que fez disparar o consumo de energia no sudeste do Brasil.

Lusa

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02
  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.