sicnot

Perfil

Economia

Bancos vão passar a contribuir mais para Fundo de Resolução

O Banco de Portugal aumentou a taxa da contribuição com que os bancos financiam o Fundo de Resolução bancário, aumentando o valor que as instituições vão pagar este ano para este fundo que interveio nas resoluções do BES e Banif.

Lusa

Lusa

Tiago Petinga

O aumento consta da instrução do Banco de Portugal divulgada a 29 de dezembro e que entrou em vigor a 01 de janeiro, passando a taxa base das contribuições para o Fundo de Resolução a ser de 0,02%, acima dos 0,015% anteriormente cobrados.

As contribuições servem para financiar o Fundo de Resolução para que este possa dar "cumprimento de obrigações assumidas", refere o Banco de Portugal no texto da Instrução.

O Fundo de Resolução interveio nos resgates ao BES e ao Banif. Foi este Fundo que capitalizou o Novo Banco com 4.900 milhões de euros e que tem na sua alçada a Naviget, a sociedade-veículo que ficou com ativos do Banif, pelo que este terá de continuar a ser financiado pelos bancos (através das contribuições periódicas mas também especiais, caso os recursos que detém não sejam suficientes) até estes processos estarem completamente concluídos.

Além de terem de contribuir para o Fundo de Resolução nacional, a partir deste ano, com a entrada em vigor do Mecanismo Único de Resolução, os bancos portugueses têm também de contribuir para o fundo de resolução único europeu, ainda não se conhecendo detalhes de como farão os pagamentos para esse 'cofre' europeu que servirá para acudir a instituições financeiras europeias em dificuldades.

Quanto às contribuições para o Fundo de Resolução português, essas têm de ser pagas em cada ano até ao último dia útil do mês de abril, sendo que a taxa base, de 0,02% este ano, é aplicada sobre os valores médios dos saldos mensais do passivo de cada banco, deduzido dos capitais próprios dos depósitos cobertos pelo Fundo de Garantia de Depósitos.

A taxa base aplicada - que pode ser no máximo de 0,07% - é decidida pelo Banco de Portugal ouvidos a Comissão Diretiva do Fundo de Resolução e Associação Portuguesa de Bancos.

O Fundo de Resolução português iniciou a sua atividade em 2012.

De acordo com o último Relatório e Contas, em 2014, as contribuições periódicas pagas ao Fundo de Resolução pelos bancos foram de 35,2 milhões de euros.

O Fundo tem ainda como receita os montantes da contribuição do setor bancário, que em 2014 foi de 160,1 milhões de euros.

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.