sicnot

Perfil

Economia

Presidente da OPEP pede reunião extraordinária sobre queda dos preços do petróleo

O presidente da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP), Emmanuel Ibe Kachikwu, defendeu hoje a realização de uma reunião extraordinária do organismo "no início de março" para avaliar a queda dos preços do petróleo.

Emmanuel Ibe Kachikwu, presidente da OPEP e ministro de Estado para os Recursos Petrolíferos da Nigéria.

Emmanuel Ibe Kachikwu, presidente da OPEP e ministro de Estado para os Recursos Petrolíferos da Nigéria.

© Heinz-Peter Bader / Reuters (Arquivo)

Emmanuel Ibe Kachikwu, também ministro de Estado para os Recursos Petrolíferos da Nigéria, defendeu ser necessária uma reunião extraordinária sobre os preços do crude, que caíram para o nível mais baixo em 12 anos, durante uma conferência em Abu Dhabi.

O barril de referência da OPEP cotou-se na quarta-feira a 29,71 dólares, abaixo dos 30 dólares pela primeira vez desde 5 de abril de 2004.

Esse barril baseia-se numa mistura de 12 qualidades de petróleo dos Estados-membros da OPEP e é um valor nominal, ou seja, não inclui a inflação.

"Nós dissemos que se [o preço] atingisse 35 [dólares por barril] iríamos começar a olhar (...) para uma reunião extraordinária", disse Kachikwu, sublinhando que os preços atingiram níveis que carecem de um encontro da OPEP.

A queda dos preços do petróleo agudizou-se desde o princípio de dezembro de 2015, depois de os ministros da OPEP não terem conseguido chegar a um acordo em relação a um 'plafond' conjunto de produção, apesar do excesso de oferta no mercado.

Este excesso de oferta de petróleo ocorre numa altura em que os países emergentes, especialmente a China, reduziram as estimativas de crescimento económico e de consumo de energia.

Neste contexto, analistas de alguns bancos de investimento, como o Goldman Sachs, não afastam a hipótese de que a atual tendência possa afundar a cotação do petróleo até aos 20 dólares.

Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.