sicnot

Perfil

Economia

Costa vai a Bruxelas pedir redução do défice a ritmo mais lento

Sob pressão do Orçamento do Estado, o Governo de António Costa vai a Bruxelas pedir mais tempo para cortar mais no défice. Segundo o Diário de Notícias de hoje, Portugal vai invocar os incumprimentos da Alemanha e da França que nos anos 2000 conseguiram suspender a aplicação do Pacto de Estabilidade para agora pedir que a Comissão Europeia aceite as novas metas do Executivo português.

ETIENNE LAURENT/ EPA (Arquivo)

António Costa quer que Bruxelas aceite um défice de 3% em 2015 e 2,8% este ano, contra os 2,7% do anterior governo para 2015 e 1,8% para 2016.

Como os 3% são o limite para entrar em incumprimento e Portugal já o superou em 2014, Portugal deverá pedir para cortar mais no défice, mas a ritmo mais lento.

Pelo contrário, e segundo o Económico de hoje, Bruxelas quer um ajustamento orçamental superior ao que o Governo tinha previsto e a pressão subiu de tom depois de conhecidas as intenções do Executivo e os problemas no Banif.

  • Junta de Santa Maria Maior no centro de Lisboa contra despejos de idosos
    3:02
  • "Não há nenhuma meta com Bruxelas", garante Centeno no Parlamento
    0:57

    Economia

    O ministro das Finanças afirma que o Programa de Estabilidade é debatido em Lisboa e não em Bruxelas.Esta manhã, no Parlamento, Mário Centeno assegurou ainda que as metas são as mesmas com que se comprometeu no programa do Governo e garante que não há nenhuma meta acordada com Bruxelas.