sicnot

Perfil

Economia

General Electric vai eliminar 6.500 empregos na Europa

A empresa norte-americana General Electric (GE) anunciou hoje que vai suprimir 6.500 empregos na Europa, 1.700 dos quais na Alemanha, 1.300 na Suíça e 765 em França.

URS FLUEELER/ EPA

"O plano de reestruturação afeta vários países europeus e pode ter impacto em 6.500 empregos dos 35.000" provenientes da aquisição das atividades de energia do grupo francês Alstom em novembro de 2015, declarou um porta-voz da empresa à France Presse, justificando as medidas com um mercado difícil.

No total, a GE tem 51 mil trabalhadores no setor da energia na Europa.

A reestruturação vai afetar também países não europeus, mas o grupo não confirmou a eliminação de cerca de 10 mil postos de trabalho em todo o mundo, um número avançado pelos sindicatos.

Cerca de 1.700 postos de trabalho serão eliminados na Alemanha e 1.300 na Suíça onde, segundo um comunicado da GE, "a reestruturação tem por objetivo corrigir os pontos fracos de competitividade em antigos domínios de atividade da Alstom".

Em relação a França, a reestruturação deve atingir 765 pessoas em perto de 9.000 da Alstom. Segundo o porta-voz, o grupo norte-americano mantém o seu compromisso de criar mil postos de trabalho.

"Nunca escondemos que as funções de apoio iam ser afetadas", acrescentou o porta-voz da GE.

"As consultas com os conselhos de empresa vão arrancar hoje e o processo vai prolongar-se por dois anos", disse o porta-voz, explicando que a eliminação de empregos será feita essencialmente com recurso a saídas voluntárias.

Após um longo processo de conversações, a multinacional norte-americana finalizou em novembro passado a compra do polo de energia da Alstom.

Lusa

  • Equipa da SIC impedida de entrar na Venezuela

    País

    A SIC tinha uma equipa a caminho da Venezuela para cobrir as eleições da Assembleia Constituinte que decorrem no domingo. No entanto o jornalista Luís Garriapa e o repórter de imagem Odacir Junior foram impedidos de entrar no país. A equipa de reportagem foi barrada à chegada ao aeroporto de Caracas. Num despacho enviado à companhia aérea que os transportou, tanto o jornalista como o repórter de imagem são considerados "inadmissíveis no território da Venezuela".

  • "Fomos considerados inadmissíveis no território da Venezuela"
    4:43

    País

    O jornalista Luís Garriapa entrou em direto no Jornal da Noite, para explicar o que aconteceu esta quinta-feira, no aeroporto de Caracas. A equipa de reportagem de SIC foi impedida de entrar na Venezuela, onde ia cobrir as eleições da Assembleia Constituinte, marcadas para domingo.

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25
  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.