sicnot

Perfil

Economia

PSD e CDS acusam esquerda de promover injustiça com 35 horas na Função Pública

PSD e CDS acusam esquerda de promover injustiça com 35 horas na Função Pública

PSD e CDS-PP acusam a esquerda de promover uma injustiça, ao permitir que os trabalhadores da Função Pública trabalhem menos horas que os do setor privado. O PS considera que o regresso das 35 horas de trabalho por semana se trata de uma reposição dos direitos dos trabalhadores da Função Pública, mas diz que é preciso salvaguardar que os setores estão preparados para quando o diploma entrar em vigor. O Parlamento debateu, esta quarta-feira, projetos do PS, BE, PCP e Os Verdes sobre este tema, ao mesmo que tempo que o Governo esteve reunido com os sindicatos no Ministério das Finanças.

  • Mário Centeno recebe sindicatos da função pública

    Economia

    Mário Centeno, o novo ministro das Finanças, recebe esta quarta-feira, e pela primeira vez, os sindicatos da função pública. O encontro estava marcado para quinta-feira, mas foi antecipado, devido à agenda do ministro. A Frente Comum é a primeira a ser recebida, depois do almoço. Centeno encontra-se depois com o Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado e com a FESAP.

  • O que está a mudar na Função Pública

    Economia

    As estruturas sindicais da administração pública reúnem-se hoje pela primeira vez com o ministro das Finanças, enquanto se discutem no parlamento os projetos de lei para repor o horário de trabalho semanal de 35 horas na função pública. Os funcionários públicos e do Setor Empresarial do Estado, que nos últimos cinco anos pagaram uma parte acrescida da fatura de austeridade, esperam agora que o novo Governo reverta a situação e lhes reponha os direitos e condições de trabalho.

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57

    País

    Tondela foi um dos municípios mais atingidos pelo incêndio, deixando dezenas de animais feridos e perdidos no concelho. Várias clínicas veterinárias são agora um porto de abrigo e, em alguns casos, um ponto de encontro. Muitos dos animais chegaram recolhidos por voluntários e a maior parte dos casos são animais que, no momento de aflição, foram soltos pelos donos e salvos pelo instituto de sobrevivência.

  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31