sicnot

Perfil

Economia

PSD e CDS acusam esquerda de promover injustiça com 35 horas na Função Pública

PSD e CDS acusam esquerda de promover injustiça com 35 horas na Função Pública

PSD e CDS-PP acusam a esquerda de promover uma injustiça, ao permitir que os trabalhadores da Função Pública trabalhem menos horas que os do setor privado. O PS considera que o regresso das 35 horas de trabalho por semana se trata de uma reposição dos direitos dos trabalhadores da Função Pública, mas diz que é preciso salvaguardar que os setores estão preparados para quando o diploma entrar em vigor. O Parlamento debateu, esta quarta-feira, projetos do PS, BE, PCP e Os Verdes sobre este tema, ao mesmo que tempo que o Governo esteve reunido com os sindicatos no Ministério das Finanças.

  • Mário Centeno recebe sindicatos da função pública

    Economia

    Mário Centeno, o novo ministro das Finanças, recebe esta quarta-feira, e pela primeira vez, os sindicatos da função pública. O encontro estava marcado para quinta-feira, mas foi antecipado, devido à agenda do ministro. A Frente Comum é a primeira a ser recebida, depois do almoço. Centeno encontra-se depois com o Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado e com a FESAP.

  • O que está a mudar na Função Pública

    Economia

    As estruturas sindicais da administração pública reúnem-se hoje pela primeira vez com o ministro das Finanças, enquanto se discutem no parlamento os projetos de lei para repor o horário de trabalho semanal de 35 horas na função pública. Os funcionários públicos e do Setor Empresarial do Estado, que nos últimos cinco anos pagaram uma parte acrescida da fatura de austeridade, esperam agora que o novo Governo reverta a situação e lhes reponha os direitos e condições de trabalho.

  • Costa defende legalização da eutanásia como forma de "alargar a liberdade"
    0:42
  • Duquesa de Sussex já tem brasão

    Harry & Meghan

    O Palácio de Kensington apresentou esta sexta-feira o brasão da Duquesa de Sussex, Meghan Markle. O brasão foi criado pelo College of Arms mas teve a ajuda da duquesa para que este fosse "pessoal e representativo".

    SIC