sicnot

Perfil

Economia

Goldman Sachs paga 5,08 mil milhões de dólares para encerrar processo

O banco Goldman Sachs anunciou esta quinta-feira que vai pagar 5,08 mil milhões de dólares (4,68 mil milhões de euros) para encerrar um processo instaurado pelas autoridades por venda de produtos designados tóxicos causadores da crise financeira de 2008.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Lucas Jackson / Reuters

Esta penalização deve pesar 1,5 mil milhões de dólares nas contas do quarto trimestre de 2015.

O banco dirigido por Lloyd Blankfein foi posto em causa pela venda entre 2005 e 2007 de uma carteira de empréstimos imobiliários para aquisição de habitação titularizados, isto é, convertidos em produtos financeiros que provocaram perdas abissais aos compradores finais.

Esta atuação, consideraram o Departamento de Justiça, os ministérios da justiça dos Estados de Nova Iorque e do Illinois e agências federais especializadas no imobiliário, violou as leis federais em matéria de crédito.

Em termos concretos, o banco foi multado em 2,4 mil milhões de dólares e tem de aplicar 1,8 mil milhões de dólares em indemnizações aos consumidores e ainda fazer outros pagamentos num total de 875 milhões de dólares.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.