sicnot

Perfil

Economia

Associação Empresarial Portuguesa diz que fim de sanções ao Irão abre oportunidades

A Associação Empresarial Portuguesa (AEP) congratulou-se hoje com o fim das sanções ao Irão, que considera ser "um mercado promissor para as empresas portuguesas", convidando-as a "aproveitar as oportunidades que se abrem" agora.

Reuters

Em comunicado, o presidente da AEP, Paulo Nunes de Almeida, congratula-se com o fim definitivo do embargo ao Irão, felicitando as autoridades da República Islâmica do Irão, da União Europeia e dos Estados Unidos da América, pelo "impulso que deram ao livre comércio internacional".

"Com o efetivo levantamento de todos os obstáculos que se colocavam ao relacionamento comercial com o Irão, as empresas portuguesas devem encarar aquele país como um promissor mercado, cujo espetro económico supera em muito os cerca de 80 milhões de habitantes do país", afirma o presidente da AEP.

Lembrando que "nunca deixou de manter" um relacionamento com o país, a associação organizou duas ações de promoção extra no Irão, a realizar este ano, no âmbito do programa de internacionalização 'Business in the way': a primeira, com a deslocação da associação a Teerão, em fevereiro, entre os dias 19 e 24, e a segunda, em abril, nos dias 24 a 27, onde representará Portugal na feira de construção 'Project Iran' ('Projeto Irão'), que decorrerá na capital iraniana.

"Incentivamos, desde já, as empresas portuguesas, interessadas em aproveitar as oportunidades que se abrem com o levantamento internacional das sanções ao Irão, a juntarem-se a nós", afirma a associação.

O Conselho de Segurança da ONU levantou, no sábado, as sanções ao país, depois de a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) ter confirmado que as autoridades iranianas cumpriram todas as exigências para iniciar o acordo nuclear internacional.

No mesmo dia, os Estados Unidos e a União Europeia decidiram levantar as sanções económicas e financeiras aplicadas ao Irão, entrando em vigor o acordo nuclear assinado em julho, em Viena.

Lusa

  • Quatro pessoas assassinadas em Barcelos

    País

    Quatro pessoas, entre elas uma grávida, foram assassinadas hoje em Tamel, no concelho de Barcelos. As vítimas terão sido esfaqueadas e o suspeito já se entregou.

    Em desenvolvimento

  • Défice de 2016 fica nos 2,1%

    Economia

    O défice orçamental ficou nos 2,1% do PIB em 2016, em linha com o previsto pelo Governo. É o valor mais baixo em democracia. Está aberto o caminho ao fim do Procedimento por Défices Excessivos.

    Em desenvolvimento

  • Libertado o ex-Presidente egípcio Hosni Mubarak

    Mundo

    O ex-Presidente egípcio foi libertado hoje, depois de ter sido absolvido por um tribunal de recurso, no início deste mês. Hosni Mubarak estava agora confinado a um hospital militar. O antigo chefe de Estado tinha sido condenado em 2012 pela morte de manifestantes nos protestos da Primavera Árabe.

  • Comissão Europeia quer proibir o tabaco na praia

    País

    A Comissão Europeia quer proibir o tabaco em todos os espaços públicos, incluindo praias, parques infantis e equipamentos desportivos. A proposta foi apresentada pelo comissário da Saúde e Segurança Alimentar que, além de querer reduzir a dependência do tabaco, também sugere que todos os estados membros apliquem uma idade mínima para a venda de tabaco.

  • "Nós aceitamos sempre os resultados das eleições"
    1:07

    País

    Durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa, o líder dos sociais-democratas garantiu que o partido tem fair-play mas disse que está nas eleições autárquicas para ganhar. Pedro Passos Coelho acrescentou ainda que o PSD aceita sempre os resultados das eleições.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27
  • Data e local da canonização serão anunciados a 20 de abril
    2:23

    País

    O Papa aprovou esta quinta-feira o decreto que valida o milagre atribuído a Francisco e Jacinta. A data e local da cerimónia da canonização dos pastorinhos serão anunciados a 20 de abril, na reunião de cardeais no Vaticano. O Bispo de Leiria/Fátima acredita que a cerimónia possa ser a 13 de maio, durante a visita do Papa a Fátima.