sicnot

Perfil

Economia

Mota-Engil desconhece motivos para queda das ações

A Mota-Engil afirmou que desconhece os motivos que poderão justificar o comportamento da cotação das suas ações na sessão de hoje e reitera a sua estratégia de alienação de ativos na atividade da engenharia e construção. A CMVM já levantou entretanto a suspensão da negociação.

Num esclarecimento enviado ao mercado, o grupo refere que "desconhece qualquer facto que possa minimamente justificar o comportamento da cotação da sua ação" e reitera que na atividade da engenharia e construção a estratégia passa pela "alienação de ativos com nível elevado de maturidade (nomeadamente nos segmentos das concessões de transporte e logística) e que tem sido efetuada com reconhecido sucesso.

Esta manhã, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) suspendeu a negociação das ações da Mota-Engil no índice PSI20, cujos títulos chegaram a cair 21,64% para 1,13 euros.

Após os esclarecimentos da emprensa, a CMVM levantou a suspensão e as ações da Mota-Engil estão de novo a ser negociadas em bolsa.

O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI20, iniciou hoje a manhã em baixa, de novo abaixo dos 5.000 pontos, com a construtora a liderar as perdas, a cair 8,81% para 1,315 euros.

Com Lusa

  • Presidente do Conselho Europeu admite divergências com Trump

    Mundo

    O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, admitiu hoje que a reunião mantida em Bruxelas com o presidente norte-americano, Donald Trump, permitiu constatar pontos de concordância em várias áreas, mas também de discordância noutras, como clima, comércio e Rússia."

  • Mourinho volta a conquistar a Europa

    Liga Europa

    O Manchester United conquistou esta quarta-feira a Liga Europa pela primeira vez. Este foi o quarto título europeu para Mourinho, depois das conquistas da Taça UEFA, em 2002/03, e da Liga dos Campeões, em 2003/04 e 2009/10.

  • Mexicana vence ultramaratona a correr de sandálias e de saia

    Desporto

    Uma mexicana venceu uma ultramaratona de 50 quilómetros a correr de saia e sandálias de borracha. María Lorena Ramírez, de 22 anos, não é atleta profissional, nem recebeu treino específico para a Ultra Trail Cerro Rojo, prova que venceu, mas pertence à tribo Tarahumara, com uma longa e invulgar tradição de excelentes corredores.

    SIC

  • Marcelo diz que a Europa precisa de paixão
    2:36
  • Protestos e violência no Rio de Janeiro
    1:08