sicnot

Perfil

Economia

Mota-Engil desconhece motivos para queda das ações

A Mota-Engil afirmou que desconhece os motivos que poderão justificar o comportamento da cotação das suas ações na sessão de hoje e reitera a sua estratégia de alienação de ativos na atividade da engenharia e construção. A CMVM já levantou entretanto a suspensão da negociação.

Num esclarecimento enviado ao mercado, o grupo refere que "desconhece qualquer facto que possa minimamente justificar o comportamento da cotação da sua ação" e reitera que na atividade da engenharia e construção a estratégia passa pela "alienação de ativos com nível elevado de maturidade (nomeadamente nos segmentos das concessões de transporte e logística) e que tem sido efetuada com reconhecido sucesso.

Esta manhã, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) suspendeu a negociação das ações da Mota-Engil no índice PSI20, cujos títulos chegaram a cair 21,64% para 1,13 euros.

Após os esclarecimentos da emprensa, a CMVM levantou a suspensão e as ações da Mota-Engil estão de novo a ser negociadas em bolsa.

O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI20, iniciou hoje a manhã em baixa, de novo abaixo dos 5.000 pontos, com a construtora a liderar as perdas, a cair 8,81% para 1,315 euros.

Com Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.