sicnot

Perfil

Economia

OPEP diz que equilíbrio de preços do petróleo começa este ano

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) anunciou hoje que espera um "processo de reequilíbrio" do preço do petróleo a começar em 2016 porque a acentuada descida das cotações vai fazer com que a produção dos seus concorrentes, como os Estados Unidos, comece a cair.

(Reuters/Arquivo)

(Reuters/Arquivo)

© Dan Riedlhuber / Reuters

Segundo a OPEP, a produção dos países fora do cartel tiveram sete anos de crescimento "fenomenal", pelo que se espera um abrandamento, o que faria com que a estratégia da organização seja uma meia vitória, apesar de o crude continuar a ser vendido abaixo dos 30 dólares por barril, quando no início de 2014 esteve a 100 dólares por barril.

"A análise indica que o ano de 2016 será orientado para a oferta, em que o processo de reequilíbrio começa", refere a OPEP no seu relatório mensal de janeiro.

"Depois de sete anos consecutivos de fenomenal crescimento da oferta não-OPEP, muitas vezes superior a dois milhões de barris por dia, em 2016 está previsto que haja um declínio da produção com efeitos profundos no corte do CAPEX (despesas de capital)", diz o documento.

O relatório indica que a produção não-OPEP nos próximos seis meses "será sensível à baixa enorme dos preços do petróleo, pelo que o seu ponto de equilíbrio não será capaz de tolerar as condições de preço".

A previsão da OPEP para o crescimento global da procura de petróleo este ano foi ajustada ligeiramente para cima, para 1,26 milhões de barris por dia (mbpd) para chegar a 94,17 mbpd.

Os preços do petróleo, que estão a cotar-se hoje abaixo dos 28 dólares por barril, caíram acentuadamente nos últimos meses devido à desaceleração da economia chinesa e da perspetiva de o Irão voltar ao mercado após o acordo sobre os ensaios nucleares em julho passado.

O país agora está livre para começar a produzir crude, adicionando a um excesso de oferta, o que - juntamente com a fraca procura e uma desaceleração da economia global - reduziu os preços em cerca de três quartos desde meados de 2014.

No passado, a OPEP tem respondido às quedas de preços reduzindo a produção, mas desta vez a organização optou por manter a operação.

Impulsionada pela Arábia Saudita, a OPEP quer manter a quota e quer retirar do mercado os Estados Unidos que com o seu petróleo de xisto precisam de um preço do petróleo mais elevado para ganhar dinheiro.

Lusa

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Exército sírio declara Damasco "totalmente segura"

    Mundo

    O exército sírio proclamou esta segunda-feira a capital Damasco e também os arredores, como locais "totalmente seguros". O anúncio foi feito em clima de festa, depois de os militares terem reconquistado os bairros do sul da cidade, até agora nas mãos do Daesh.