sicnot

Perfil

Economia

Governo defende emprego de qualidade e propõe redução do IVA da restauração

O Governo defende para o próximo quadriénio a criação de emprego de qualidade e para concretizar esse objetivo pretende aplicar medidas como a redução do IVA para os 13% na restauração.

Lisboa, 19 jan (Lusa) - O Governo defende para o próximo quadriénio a criação de emprego de qualidade e para concretizar esse objetivo pretende aplicar medidas como a redução do IVA para os 13% na restauração.

De acordo com a proposta de Grandes Opções do Plano (GOP) para 2016-2019, que o Governo enviou ao Conselho Económico e Social, "a criação sustentada de emprego de qualidade e a redução do desemprego, nomeadamente dos jovens e dos desempregados de longa duração, constituem desígnios estratégicos para os próximos anos".

"No âmbito da promoção da criação sustentada de emprego de qualidade, será necessário ter em consideração um conjunto vasto de medidas setoriais que contribuem para este objetivo", refere o documento, a que a agência Lusa teve acesso.

Com o objetivo de promover o emprego, o Governo promete reduzir o IVA da restauração e dar prioridade à criação de programas de incentivo à reabilitação urbana e de recuperação do património histórico português.

Para o executivo "as políticas ativas de emprego devem ser mais efetivas, seletivas e dirigidas aos segmentos e grupos mais atingidos pelo desemprego e com especiais dificuldades de entrada ou reentrada no mercado de trabalho".

Neste âmbito, é assumido o compromisso de desenvolver um programa de apoio ao emprego jovem, o Contrato-Geração, e ao mesmo tempo desenvolver um conjunto de medidas com vista a promover a formação de acordo com as necessidades dos grupos específicos de desempregados, para aumentar a sua empregabilidade.

O Governo considera essenciais as políticas de promoção do empreendedorismo que favoreçam a criação de novas empresas em setores emergentes e inovadores e consequentemente a criação de mais e melhores empregos.

Por isso, pretende criar a Rede Nacional de Incubadoras e a Rede Nacional de Fab Labs (prototipagem).

A par da promoção do emprego de qualidade e da redução do desemprego, o Governo promete combater a precariedade laboral, "evitando o uso excessivo de contratos a prazo, os falsos recibos verdes e outras formas atípicas de trabalho".

Para concretizar este objetivo o Governo propõe a limitação do regime de contrato a prazo, o agravamento da contribuição para a segurança social das empresas com excesso de rotatividade dos seus quadros, a melhoria da capacidade inspetiva na área laboral, a regularização da situação dos trabalhadores com falsa prestação de serviços e a revogação da norma do Código do Trabalho que permite a contratação a prazo para postos de trabalho permanentes de jovens à procura de primeiro emprego.

As GOP preveem a elaboração de um Plano Nacional contra a Precariedade que consolide as medidas que vão ser criadas para evitar o uso excessivo de contratos a prazo, os falsos recibos verdes e outras formas atípicas de trabalho.

No documento programático, o Governo assume ainda que vai dinamizar a contratação coletiva e a negociação coletiva na administração pública, assim como o diálogo social no âmbito da concertação social.

Lusa

  • Pedrógão e o Governo das culpas dos outros

    Opinião

    Depois das revelações do ‘Expresso’ e do ‘i’, o primeiro-ministro e os ministros saíram à rua com uma estratégia muito bem definida: desmentir a existência de listas secretas e centrar as atenções no Ministério Público. Ao mesmo tempo, nas redes sociais, está em curso (mais) uma campanha contra os jornalistas. Os anónimos, com cartão de militante, que escrevem nessas páginas acusam os jornais das “mais rebuscadas teorias da conspiração”. Nada de novo portanto.

    Bernardo Ferrão

  • "A verdadeira questão são as imagens com que abrimos o Jornal, é um país que está a arder"
    2:52

    Opinião

    A polémica em torno do número de vítimas da tragédia de Pedrógão Grande esteve em análise no Jornal da Noite. Miguel Sousa Tavares diz não compreender "que se faça disto uma questão política" e reitera que o foco deve centrar-se nas imagens de "um país que está a arder". O comentador SIC afirma ainda que "64 mortos num incêndio é um escândalo, um número absurdo".

    Miguel Sousa Tavares

  • "Hoje vi chover lume"
    3:57
  • Quase mil bombeiros combatem chamas na Sertã
    1:37

    País

    O incêndio que deflagrou no domingo, na Sertã, concelho de Castelo Branco, ainda não foi extinto. Perto de mil homens combatem as chamas no terreno, apoiados por 10 meios aéreos. O fogo tem frentes em Mação e Proença-a-Nova.

  • Proteção Civil acusada de gestão errática no incêndio de Mação
    1:26

    País

    O comandante dos Bombeiros de Constância e o vice-Presidente da Liga dos Bombeiros acusam a Proteção Civil de desviar meios do fogo de Mação, em Santarém, que eram essenciais para travar o incêndio. As chamas desceram da Sertã e acabaram por queimar uma casa de habitação.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • O apelo da adolescente arrependida de ir lutar pelo Daesh

    Daesh

    Uma adolescente alemã que desapareceu da casa dos pais, no estado da Saxónia, esteve entre os vários militantes do Daesh detidos este fim de semana na cidade iraquiana de Mossul. Arrependida do rumo que deu à sua vida, deixou um apelo emocionado em que expressa, repetidamente, a vontade de "fugir" e voltar para casa.

    SIC

  • Bebé Charlie Grad já não vai receber tratamento nos EUA

    Mundo

    A mãe de Charlie Grad disse esta segunda-feira que o bebé poderia ter vivido uma vida normal, caso tivesse começado a receber tratamento cedo. Já o pai admitiu que o filho não iria viver até ao primeiro aniversário. O bebé foi diagnosticado com uma doença rara e um hospital em Inglaterra pediu permissão para desligar a ventilação artificial e fornecer-lhe cuidados paliativos. O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos aceitou e, até hoje, os pais travaram uma batalha na Justiça para suspender a decisão na esperança de irem tratar o filho nos Estados Unidos da América.