sicnot

Perfil

Economia

Pesada recessão no Brasil pode afundar economia da América Latina em 2016

O secretário-geral da OCDE, Ángel Gurría, admitiu hoje que "é muito difícil" que a economia da América latina, no seu conjunto, consiga crescer este ano, devido à forte recessão que deve continuar a abalar o Brasil.

(Reuters / Arquivo)

(Reuters / Arquivo)

© Nacho Doce / Reuters

Em declarações à agência de notícias espanhola Efe, o líder da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) fez notar que o peso que o Brasil tem no conjunto da economia latino-americana dificulta que o Produto Interno Bruto (PIB) da região consiga ser positivo em 2016, sobretudo porque o crescimento dos outros grandes países também deverá ser débil.

Ángel Gurría comentava assim às novas previsões da economia mundial publicadas hoje pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), que estima uma contração de 0,3% da economia da América Latina e das Caraíbas em 2016, grupo no qual se inclui o Brasil, que deverá ter uma recessão de 3,5% do seu PIB este ano.

Ainda em 2015, estima o FMI, a economia do grupo dos países latinos já deverá ter recuado 0,3%, sendo que a do Brasil deverá ter caído 3,8%.

A OCDE estimava, numa síntese de vários estudos sobre a América Latina, que embora não tivesse dados macroeconómicos atualizados foi divulgada hoje, que a região teria este ano "uma recuperação modesta" depois de uma "ligeira contração" em 2015.

Ángel Gurría fez notar que os grandes produtores de petróleo da região estão a ser muito afetados pelo afundar do preço do barril, sublinhando no entanto a diferença entre eles, nomeadamente no México, o seu país de origem.

O México, considerou, tem-se mostrado mais resistente às quedas do preço do petróleo devido às reformas que tomou nos últimos anos, na educação, inovação, investigação e desenvolvimento, mas também em impostos e na flexibilização dos mercados de trabalho e de produtos.

No caso do Brasil, o secretário-geral da OCDE disse que, além da queda do preço do petróleo, "criou-se um problema de reformas de políticas", com "problemas políticos".

Em qualquer caso, acrescentou, "nunca é tarde" para avançar com as reformas políticas, o que "pode dar um sinal aos mercados".

Questionado sobre as dificuldades para avançar com reformas estruturais neste momento de "vacas magras" na América Latina, Ángel Gurría respondeu que "o melhor momento nunca chega" e que a experiência mostra que "o pior é quando te forçam a fazer reformas".

A sua receita é que "se tem de fazer as reformas quando sejam necessárias" e que "é melhor em inicio de mandato" e quando "se têm maiorias".

Lusa

  • Inglaterra estreia-se com vitória suada frente à Tunísia

    Mundial 2018 / Tunísia

    A seleção inglesa estreou-se no Mundial 2018 com um triunfo sobre a Tunísia por 2-1, com o golo da vitória a ser apontado já para lá do minuto 90. O jogo foi referente à 1.ª jornada do grupo G. Veja aqui os golos e os lances que marcaram o encontro.

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC