sicnot

Perfil

Economia

Venda da CP Carga à multinacional suíça MSC é concluída hoje

A venda de 95% do capital da CP Carga à operadora ferroviária suíça MSC por 53 milhões euros será concluída hoje, depois de quatro meses de processo de venda, numa cerimónia à porta fechada, confirmou a empresa em comunicado.

A conclusão do negócio, que decorrerá numa cerimónia à porta fechada ao final do dia, acontece quatro meses depois de o anterior Governo PSD/CDS-PP ter assinado o acordo para a venda da CP Carga.

Em dezembro, a Autoridade da Concorrência deu luz verde ao negócio, sendo que, segundo explicou a CP Carga em comunicado, a assinatura final do acordo "ficou dependente apenas do cumprimento das condições que a precedem, por parte do comprador, e da aprovação governamental".

"Cumpridos todos estes passos, não resta mais às partes do que concluir o negócio", afirma a empresa, acrescentando que pela parte portuguesa assinará a CP -- Comboios de Portugal, única acionista da CP Carga, e como comprador, a MSC Rail, vencedora do processo concursal.

A CP informa que "a proposta vencedora e selecionada contém um plano estratégico de expansão da atividade da empresa, o que, no seu entender, confere o conforto necessário quanto ao futuro dos atuais trabalhadores da CP Carga".

Isto porque, os trabalhadores da CP Carga têm-se manifestado contra a conclusão do processo de privatização, tendo na terça-feira, véspera da assinatura, convocado uma greve para 28 de janeiro, quando farão uma ação de protesto que se inicia na Avenida da República e terminará no Ministério do Planeamento e Infraestruturas, que tem a tutela da empresa.

No passado dia 13, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, disse que o processo de privatização da CP Carga está em curso, realçando que a suspensão não está prevista nem no programa de Governo nem nos acordos políticos com o PCP e com o Bloco de Esquerda (BE).

"Não estava nem no programa de Governo nem nos acordos políticos. Essa empresa não estava entre as que era prevista a reversão [da privatização]", afirmou na altura Pedro Marques, no Aeroporto de Lisboa, à margem da apresentação de novos investimentos da ANA - Aeroportos de Portugal.

A MSC Rail vai investir 53 milhões de euros na CP Carga, empresa detida pela CP -- Comboios de Portugal que se dedica ao transporte de mercadorias, recebendo da casa-mãe material circulante no valor de 110 milhões de euros.

Segundo o antigo secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, a multinacional suíça assumiu o compromisso de capitalizar a CP Carga em 51 milhões e ofereceu dois milhões pelas ações, tendo apresentado a melhor proposta financeira, face à da Atena Equity Partners, no valor de 45,5 milhões de euros, e da Cofihold de 30 milhões de euros.

Aquando da decisão, Sérgio Monteiro referiu ainda "um conjunto de matérias nomeadamente de assunção de dívidas que foram contempladas na proposta da MSC", referindo o pagamento de dívidas a entidades públicas [CP e Infraestruturas de Portugal], à conversão de dívida comercial e o número de locomotivas que precisam de ser transferidas.

A MSC Rail assume ainda na sua proposta "um compromisso de estabilidade laboral", disse o governante, acrescentando que o número de postos de trabalho deverá aumentar, tendo em conta o aumento da competitividade da empresa em mãos privadas.

A MSC - Operadores Ferroviários era um dos principais clientes da CP Carga.

Lusa

  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Costa confiante no crescimento da economia e das exportações
    1:09

    Economia

    O primeiro-ministro manifestou confiança no crescimento da economia e das exportações. À margem da cerimónia dos 25 anos da Auto Europa em Portugal, António Costa deu vários exemplos de investimento estrangeiro, feito nas últimas semanas no país, e disse que os dados económicos recentes são positivos.

  • Turista italiano assassinado em favela do Rio de Janeiro
    1:01

    Mundo

    Um turista italiano de 52 anos foi assassinado numa favela do Rio de Janeiro, no Brasil, enquanto viajava com um amigo. Após várias horas com o gangue autor do crime, o amigo que se encontrava com a vítima acabou por ser libertado.

  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47