sicnot

Perfil

Economia

Presidente da Renault pede novas regras para emissões poluentes de carros

O presidente da Renault, o brasileiro Carlos Ghosn, insistiu esta sexta-feira que o grupo francês cumpre as regras das emissões poluentes nos seus carros e acrescentou estar a favor da alteração das medidas de homologação para evitar confusões nos consumidores.

Carlos Ghosn explicou ser "evidente que quando se utiliza um carro em condições diferentes (...), têm-se emissões diferentes, e normalmente superiores", acrescentando que "todos os fabricantes têm emissões superiores" e frisou que "não há regras" para dizer se é ou não aceitável que se superem em cinco, sete, dez, quinze ou vinte vezes. (Arquivo)

Carlos Ghosn explicou ser "evidente que quando se utiliza um carro em condições diferentes (...), têm-se emissões diferentes, e normalmente superiores", acrescentando que "todos os fabricantes têm emissões superiores" e frisou que "não há regras" para dizer se é ou não aceitável que se superem em cinco, sete, dez, quinze ou vinte vezes. (Arquivo)

© Thomas Peter / Reuters

"Não há fraude", sublinhou Carlos Ghosn numa entrevista ao canal de televisão RTL, que fez finca pé de que "cumpre as normas" e de que "os carros Renault estão todos homologados".

O presidente da Renault respondia à polémica gerada depois de na semana passada as autoridades francesas antifraude terem feito buscas em vários locais da empresa para verificar se a marca não utilizava, como a alemã Volkswagen, mecanismos para dar informações enganosas sobre os níveis de emissões dos seus veículos.

A razão das buscas das autoridades estava relacionada com os resultados obtidos por dois modelos da Renault nas provas realizadas por uma comissão oficial criada em setembro passado após o escândalo Volkswagen, de forma a verificar as emissões em condições reais de condução.

As quantidades de óxidos de nitrogenio (NOx) para versões a gasóleo do Captur e da Espace nessas condições normais eram várias vezes superiores às obtidas na homologação em ambiente estático.

Carlos Ghosn explicou ser "evidente que quando se utiliza um carro em condições diferentes (...), têm-se emissões diferentes, e normalmente superiores", acrescentando que "todos os fabricantes têm emissões superiores" e frisou que "não há regras" para dizer se é ou não aceitável que se superem em cinco, sete, dez, quinze ou vinte vezes.

Por isso, pronunciou-se a favor de que "se estabeleçam algumas regras para que não haja confusão".

O presidente da Renault, - que ainda não se tinha pronunciado publicamente sobre o assunto e que em dos dias fez perder 12% do valor da empresa em bolsa - reconheceu a importância de restabelecer a confiança do consumidor.

"Não podemos deixar a dúvida que a marca engana", pois "a riqueza de uma empresa como a Renault é a confiança dos seus clientes", afirmou.

Lusa

  • Carros da Renault podem ser alvo de revisão técnica
    1:31

    Escândalo Renault

    Até 700 mil carros da Renault podem vir a ser alvo de revisão técnica, por suspeita de não respeitarem as normas europeias para as emissões poluentes. O diretor técnico da marca francesa nega qualquer manipulação e semelhança com o escândalo Volkswagen. Um erro detetado o verão passado levou já à decisão de rever 15 mil carros.

  • "Claramente que há mandantes e que foi uma operação organizada"
    4:14

    Crise no Sporting

    Os 23 detidos por suspeitas de terem participado no ataque à Academia de Alcochete ficaram em prisão preventiva. Miguel Sousa Tavares considera que a decisão "é mais para ser exemplar". O comentador da SIC acredita que há mandantes e que esta foi uma "operação organizada". Sousa Tavares diz ainda que os "políticos não têm coragem para impor as leis" e que em Portugal "brinca-se com a lei".

    Miguel Sousa Tavares

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Exército sírio declara Damasco "totalmente segura"

    Mundo

    O exército sírio proclamou esta segunda-feira a capital Damasco e também os arredores, como locais "totalmente seguros". O anúncio foi feito em clima de festa, depois de os militares terem reconquistado os bairros do sul da cidade, até agora nas mãos do Daesh.

  • Jovem britânico em fuga é detido depois de responder à polícia no Facebook

    Mundo

    Através do Facebook, a polícia de West Yorkshire mostrou-se preocupada perante o desaparecimento de um jovem de 21 anos e pediu por informações que pudessem leva-los a descobrir Leon Smith. Contudo, o que não deveriam estar à espera, era que o próprio desaparecido respondesse na rede social e que desafiasse a polícia a "fazer o seu trabalho". As autoridades acabaram por localizar o jovem no mesmo dia.

    SIC