sicnot

Perfil

Economia

Presidente da Renault pede novas regras para emissões poluentes de carros

O presidente da Renault, o brasileiro Carlos Ghosn, insistiu esta sexta-feira que o grupo francês cumpre as regras das emissões poluentes nos seus carros e acrescentou estar a favor da alteração das medidas de homologação para evitar confusões nos consumidores.

Carlos Ghosn explicou ser "evidente que quando se utiliza um carro em condições diferentes (...), têm-se emissões diferentes, e normalmente superiores", acrescentando que "todos os fabricantes têm emissões superiores" e frisou que "não há regras" para dizer se é ou não aceitável que se superem em cinco, sete, dez, quinze ou vinte vezes. (Arquivo)

Carlos Ghosn explicou ser "evidente que quando se utiliza um carro em condições diferentes (...), têm-se emissões diferentes, e normalmente superiores", acrescentando que "todos os fabricantes têm emissões superiores" e frisou que "não há regras" para dizer se é ou não aceitável que se superem em cinco, sete, dez, quinze ou vinte vezes. (Arquivo)

© Thomas Peter / Reuters

"Não há fraude", sublinhou Carlos Ghosn numa entrevista ao canal de televisão RTL, que fez finca pé de que "cumpre as normas" e de que "os carros Renault estão todos homologados".

O presidente da Renault respondia à polémica gerada depois de na semana passada as autoridades francesas antifraude terem feito buscas em vários locais da empresa para verificar se a marca não utilizava, como a alemã Volkswagen, mecanismos para dar informações enganosas sobre os níveis de emissões dos seus veículos.

A razão das buscas das autoridades estava relacionada com os resultados obtidos por dois modelos da Renault nas provas realizadas por uma comissão oficial criada em setembro passado após o escândalo Volkswagen, de forma a verificar as emissões em condições reais de condução.

As quantidades de óxidos de nitrogenio (NOx) para versões a gasóleo do Captur e da Espace nessas condições normais eram várias vezes superiores às obtidas na homologação em ambiente estático.

Carlos Ghosn explicou ser "evidente que quando se utiliza um carro em condições diferentes (...), têm-se emissões diferentes, e normalmente superiores", acrescentando que "todos os fabricantes têm emissões superiores" e frisou que "não há regras" para dizer se é ou não aceitável que se superem em cinco, sete, dez, quinze ou vinte vezes.

Por isso, pronunciou-se a favor de que "se estabeleçam algumas regras para que não haja confusão".

O presidente da Renault, - que ainda não se tinha pronunciado publicamente sobre o assunto e que em dos dias fez perder 12% do valor da empresa em bolsa - reconheceu a importância de restabelecer a confiança do consumidor.

"Não podemos deixar a dúvida que a marca engana", pois "a riqueza de uma empresa como a Renault é a confiança dos seus clientes", afirmou.

Lusa

  • Carros da Renault podem ser alvo de revisão técnica
    1:31

    Escândalo Renault

    Até 700 mil carros da Renault podem vir a ser alvo de revisão técnica, por suspeita de não respeitarem as normas europeias para as emissões poluentes. O diretor técnico da marca francesa nega qualquer manipulação e semelhança com o escândalo Volkswagen. Um erro detetado o verão passado levou já à decisão de rever 15 mil carros.

  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02
  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.