sicnot

Perfil

Economia

Google vai pagar 172 M€ de impostos em atraso no Reino Unido

O gigante norte-americano Google vai pagar 130 milhões de libras (cerca de 172 milhões de euros) de impostos em atraso no Reino Unido, após uma investigação do fisco britânico, anunciou na sexta-feira uma porta-voz da empresa.

© Peter Power / Reuters

"Pusemos em prática com o HMRC (autoridade tributária e aduaneira do Reino Unido) uma nova abordagem para o pagamento dos nossos impostos no Reino Unido e pagaremos 130 milhões de libras, cobrindo os impostos desde 2005", disse a porta-voz da empresa.

As declarações surgem na sequência de uma investigação, conduzida há seis anos, aos baixos impostos pagos por empresas multinacionais que operam no Reino Unido, mas têm a sua sede em locais diferentes.

"A forma como as empresas multinacionais são tributadas tem sido debatida há anos e consequentemente o sistema tributário internacional muda. Este acordo reflete essa mudança", acrescentou.

O ministro das Finanças britânico, George Osborne, já saudou o acordo hoje de manhã num primeiro 'tweet' (comentário na rede social Twitter): "O valor dos impostos [que será pago] pelo Google é uma vitória da ação que lançámos. (...) Estamos agora à espera que outras empresas paguem a sua parte".

"É bom ver o Google a pagar mais impostos sobre os lucros passados. Queremos que as empresas tenham sucesso no Reino Unido, mas elas devem pagar os seus impostos", acrescentou num segundo 'tweet'.

No futuro, o Google pagará impostos no Reino Unido com base na receita ali gerada através de publicidade, refletindo a dimensão do negócio da empresa no Reino Unido, disse a porta-voz do motor de busca.

A estação televisiva BBC avançou que o Google vai agora registar uma maior parte da sua atividade no Reino Unido, em detrimento da Irlanda, onde está localizada a sua sede e onde os impostos cobrados sobre os lucros são mais baixos.

Um porta-voz da HMRC já veio aplaudir o acordo.

"As investigações do HMRC foram concluídas com sucesso, o que garantiu um resultado significativo: o Google vai pagar a totalidade do imposto devido, de acordo com o estipulado na lei sobre os lucros obtidos no Reino Unido", congratulou-se o porta-voz do HMRC, acrescentando que "as empresas multinacionais devem pagar o imposto que é devido" e que não aceites montantes inferiores.

O Google faz parte de um grupo de várias multinacionais tecnológicas que estão na mira das autoridades europeias devido a práticas "otimização fiscal".

Por sua vez, a empresa norte-americana Apple aceitou também em Dezembro pagar 318 milhões de euros em Itália, após uma investigação por evasão fiscal.

Em novembro, os Chefes de Estado e de Governo do G20 tinham adotado na Cimeira de Antalya (Turquia) um plano para lutar contra a evasão fiscal por multinacionais estabelecidas no âmbito da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

O plano da OCDE, supostamente para evitar que grandes multinacionais contornem o pagamento de impostos através de estratégias de contabilidade sofisticadas, prevê por exemplo a obrigação pelas empresas de detalhe dos resultados e da carga fiscal por país.

Lusa

  • Ronaldo dispensado da seleção para ir conhecer os filhos

    Taça das Confederações

    A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) informou em comunicado que Cristiano Ronaldo foi dispensado da Taça das Confederações "para que possa conhecer os seus filhos". Numa mensagem no Facebook, o jogador mostrou-se sensibilizado com a decisão da Federação, acrescentando ainda que está "muito feliz por poder, finalmente, estar com os (...) filhos pela primeira vez".

  • Crise na Venezuela faz aumentar casos de desnutrição infantil
    2:13
  • Comprar ou arrendar casa?
    8:25
  • A fábrica de caças na base aérea de Monte Real
    3:35