sicnot

Perfil

Economia

Crise económica limita verbas para o Carnaval no Brasil

O Carnaval é a festa popular mais importante do Brasil, mas este ano os problemas económicos que afetam o país estão a levar ao cancelamento ou à diminuição das verbas públicas destinadas ao evento.

© Ricardo Moraes / Reuters

Mais de cinquenta municípios em nove estados brasileiros deixaram de patrocinar ou reduziram as festividades carnavalescas alegando que a crise afetou os cofres públicos e, este ano, os recursos usados para apoiar os desfiles serão aplicados em outras áreas.

O Recife, capital de Pernambuco, informou que investirá 25 milhões de reais no carnaval. Fazendo uma comparação com o ano passado, quando 35 milhões de reais foram destinados à organização da festa, verifica-se um corte de 10 milhões de reais.

A cidade organiza um dos carnavais mais populares do país. Em 2015, a capital pernambucana recebeu 890 mil turistas nesta época do ano.

Em Minas Gerais, a redução do apoio governamental afetou pelo menos 26 municípios.

Na cidade de Ouro Preto houve uma redução de mais de 90% do dinheiro transferido para os organizadores dos festejos carnavalescos. O município vai gastar 100 mil reais (22,4 mil euros) em atrações e infraestrutura para os turistas. Em 2015, os aportes chegaram a 1,5 milhões de reais (336 mil euros).

A Prefeitura de Diamantina afirmou que, por falta de verbas, fornecerá apenas serviços essenciais como limpeza urbana e casas-de-banho químicas. No ano passado, gastou cerca de um milhão de reais (224 mil euros) no evento.

Em Mariana, atingida pela queda de duas barragens da empresa de mineração Samarco, o carnaval foi mantido, mas os recursos serão menores. São João del-Rei deixará de patrocinar os desfiles e vai apoiar apenas os blocos de rua.

Já em Macau, município do litoral a 180 quilómetros de Natal, onde acontece uma das maiores festas do Rio Grande do Norte, o cortejo foi cancelado. Esta festa, conhecida como carnaval do mela-mela, atrai milhares de pessoas.

Os cortes também ocorreram em locais onde a folia não tem um grande potencial turístico: Batatais, Sorocaba, Campinas, Lorena e Guaratinguetá, municípios do interior do estado de São Paulo, cancelaram os desfiles.

Em Porto Ferreira, também no interior paulista, a prefeitura foi mais drástica e disse que não vai patrocinar as comemorações, que custariam cerca de 120 mil reais (27 mil euros), para comprar uma ambulância.

Irati, no Paraná, anunciou que usará a verba do carnaval, cerca de 100 mil reais (22,5 mil euros), em obras para conter cheias.

Os cortes foram motivados pela crise económica do Brasil, que no ano passado entrou oficialmente em recessão.

A inflação no país terminou o ano em 10,67% e o desemprego atingiu 9% da população até ao terceiro trimestre.

Ainda não foram divulgados dados oficiais, mas projeções do Fundo monetário Internacional (FMI) indicam que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro reduziu 3,8% em 2015.

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.

  • O edifício mais longo do mundo

    Mundo

    Se pensa que já viu tudo em relação aos edifícios mais longos e complexos do mundo, pense duas vezes. O edifício mais longo do mundo pode estar prestes a chegar e promete fazer de Nova Iorque uma cidade ainda mais atrativa.