sicnot

Perfil

Economia

Turistas estrangeiros representaram 66% das dormidas em Portugal em 2015

Portugal registou 55,6 milhões de dormidas em estabelecimentos de alojamento turístico em 2015, um aumento de 0,5% face ao ano anterior, que se deve aos turistas não-residentes, que representaram 66% das dormidas turísticas, revela o Eurostat.

reuters

De acordo com dados hoje divulgados pelo gabinete oficial de estatísticas da União Europeia, a UE deverá ter registado em 2015 um novo máximo de cerca de 2,8 mil milhões de noites passadas em estabelecimentos de alojamento turístico, um aumento de 3,2% face a 2014, com a Espanha a liderar a lista em termos absolutos (421 milhões de dormidas), seguida de França (413 milhões), Itália (385) e Alemanha (379).

Com 36,5 milhões de dormidas de turistas não-residentes, Portugal é o sexto país com uma maior proporção de turistas estrangeiros, significativamente acima da média comunitária (de 46%) e apenas superado pelas ilhas do Mediterrâneo Malta (96%) e Chipre (94%), e por Croácia (92%), Grécia (79%) e Áustria (71%).

Na comparação entre 2014 e 2015, Portugal registou uma subida de 1,7% das noites passadas em estabelecimentos turísticos por não-residentes, mas um decréscimo de 1,8% no que se refere turistas nacionais (19,1 milhões de dormidas).

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.