sicnot

Perfil

Economia

Investigação revela que lavar dinheiro nos EUA é muito fácil

Uma investigação com recurso a câmara escondida demonstrou a facilidade de se lavar dinheiro nos EUA, proveniente de ganhos ilícitos, designadamente gravando encontros entre advogados e um representante de um suposto ministro africano.

© STRINGER Peru / Reuters

Uma organização independente anticorrupção, a Global Witness, gravou encontros entre o ostensivo representante daquele falso ministro e 13 advogados nova-iorquinos para discutir as possibilidades de retirar o dinheiro de um país da África Ocidental através de empresas de fachada.

O representante, que era de facto um membro da Global Witness, disse aos advogados que o ministro tinha conseguido milhões de dólares resultantes da atribuição de direitos de mineração e queria trazer o dinheiro para os EUA, para comprar um avião privado, uma casa e um iate.

"Disfarçámo-nos deliberadamente como alguém concebido para desencadear alertas de lavagem de dinheiro", explicou hoje a organização no seu sítio na internet.

"Dissemos que precisávamos de trazer o dinheiro para os EUA sem que fosse detetado", acentuou.

O resultado foi que apenas um dos 13 advogados se recusou a ajudar. Os outros, adiantou a Global Witness, manifestaram-se recetivos e sugeriram que o falso representante criasse empresas de fachada nos EUA para movimentar os seus fundos.

"Bem, faça uma empresa no (Estado do) Delaware para possuir o imobiliário", sugeriu um.

O Delaware é um de vários Estados norte-americanos que permite a constituição de empresas que escondem a identidade do seu principal beneficiário.

"É um dos sítios mais fáceis do mundo para fazer isto legalmente", acentuou a Global Witness.

Alguns congressistas e organizações não-governamentais pretendem o encerramento deste canal de lavagem de dinheiro que tem sido usado por traficantes de armas e droga.

Durante as reuniões gravadas, vários advogados sugeriram que o dinheiro do falso ministro poderia passar através das contas bancárias das suas firmas de advocacia para evitar as suspeitas das autoridades.

Se bem que nenhum dos advogados tenha ficado com o falso ministro como cliente, apenas um rejeitou a abordagem do falso representante.

"Isso não é para mim. Os meus padrões são elevados", afirmou Jeffrey Herrmann, que também recusou recomendar alguém para o trabalho.

Lusa

  • Agência Europeia do Medicamento fica em Amesterdão

    Mundo

    Amesterdão ganhou esta segunda-feira a corrida para sede da Agência Europeia do Medicamento (EMA), a votação decorreu na reunião do Conselho de Assuntos Gerais da União Europeia. A cidade do Porto conseguiu 10 pontos, a par de Atenas e foi eliminada logo na primeira volta.

    Em atualização

  • Nascentes do Douro e Tejo estão praticamente secas
    2:55
  • "Para ele, um 'não' não foi suficiente"
    3:39
  • "Diálogos" de Catarina Neves duplamente premiado no festival Muvi
    2:12
  • Isabel II e Filipe de Edimburgo celebram 70 anos de casamento
    0:44

    Mundo

    A rainha Isabel II de Inglaterra e Filipe de Edimburgo celebram hoje 70 anos de casamento. Em dia de comemoração, o Palácio de Buckingham divulgou novas fotografias do casal cuja união é a mais duradora dentro das casas reais. Isabel casou com 21 anos. Seis anos depois foi coroada rainha por ocasião da morte do pai. A rainha e o marido têm quatro filhos, entre eles o herdeiro ao trono, Carlos, oito netos e cinco bisnetos.

  • Um negócio familiar destruído pelas chamas
    8:36