sicnot

Perfil

Economia

Renault abre primeira fábrica na China

A francesa Renault abriu hoje a primeira fábrica na China, tornando-se o mais recente fabricante de carros a montar uma unidade de produção na segunda economia mundial e maior mercado automóvel do mundo.

Renault abre a primeira fábrica na China

Renault abre a primeira fábrica na China

© Stephane Mahe / Reuters


A fábrica, construída em parceria com a marca local Dongfeng, foi implantada em Wuhan, a capital da província de Hubei, que fica no centro do país e concentra grande parte da produção automóvel chinesa.

A capacidade máxima anual de produção está fixada em 150 mil veículos.

A China "continua a ser um motor de crescimento da indústria automóvel mundial", realçou o presidente da Renault, o brasileiro Carlos Ghosn, na inauguração.

Ghosn referiu ainda que a estrutura em Wuhan é o "primeiro grande passo" para o desenvolvimento da parceria entre a Renault e o grupo Dongfeng.

O país asiático é o maior mercado mundial de veículos e principal fonte de receitas do setor fora dos países desenvolvidos, mas até agora a empresa francesa operava na China através da Nissan, o seu parceiro japonês.

A unidade chinesa irá produzir inicialmente o modelo de passageiros Kadjar.

"Observamos um 'boom' neste nicho de mercado na China e não irá parar", justificou Jacques Daniel, presidente da 'joint venture' sino-francesa.

"Chegamos tarde, mas com o produto certo", realçou.

Daniel reconheceu que a situação atual na China é desafiante.

As vendas de automóveis na China aumentaram 4,7% por cento em 2015 para o novo valor recorde de 24,59 milhões de unidades, segundo a Associação de Fabricantes de Automóveis da China (CAAM).

A variação percentual supõe, contudo, o ritmo de crescimento mais lento dos últimos três anos, depois de as vendas terem crescido 13,9% em 2013 e 6,9% em 2014.

Os fabricantes do setor responderam com uma redução dos preços e alguns optaram por um corte na produção.

A campanha anticorrupção em curso no país, que inclui a redução da frota automóvel do Estado, atingiu também o segmento topo de gama.

A CAAM prevê que as vendas cresçam 6% este ano, para 26 milhões de unidades.

Em 2015, o grupo norte-americano General Motors vendeu 3,61 milhões de unidades, um aumento de 5,2% face ao ano anterior, superando assim a Volkswagen como líder no mercado chinês.

Lusa

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Greve na Função Pública vai afetar escolas, saúde e cultura

    País

    A greve nacional convocada para sexta-feira pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSTFPS) deverá afetar as escolas, a área da saúde e ainda da cultura, entre outros serviços, afirmou esta quarta-feira a dirigente sindical, Ana Avoila.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.