sicnot

Perfil

Economia

BE vai propor limitação dos salários dos gestores públicos de topo

O BE anunciou hoje que vai propor a limitação dos salários dos gestores públicos de topo, com Os Verdes, PS, PCP e CDS-PP a juntarem-se nas críticas aos salários "milionários" dos administradores da Autoridade Nacional de Aviação Civil.

"O Bloco de Esquerda assume a sua parte da responsabilidade e apresentará nesta Assembleia da República uma proposta para limitar os salários dos gestores públicos de topo. Não é aceitável que um gestor público receba mais do que o primeiro-ministro", disse o deputado do BE Heitor de Sousa, numa declaração política no plenário da Assembleia da República.

Antes, a deputada de Os Verdes Heloísa Apolónia tinha também abordado a questão na intervenção política do seu partido, exigindo que PSD e CDS-PP prestassem explicações políticas urgentes ao país sobre os salários dos administradores de entidades reguladoras, recordando o caso recentemente noticiado de que em outubro de 2015 os administradores da Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) tiveram aumentos salariais superiores a 150%, com efeitos retroativos a julho do mesmo ano.

"Enquanto o Governo PSD/CDS fez descer a pique os salários dos portugueses, os mesmos PSD e CDS permitiram que, entre outros exemplos, um administrador da ANAC deixasse de ganhar cerca de seis mil euros mensais, para passar a ganhar cerca de 16 mil euros por mês, auferindo, num ano, a 'módica' quantia de 225 mil euros", acusou Heloísa Apolónia.

Nas suas intervenções, a deputada do partido ecologista Os Verdes e o deputado do BE Heitor Costa lembraram ainda que, em 2013, PSD e CDS-PP recusaram a limitação de vencimentos no âmbito da lei-quadro das Entidades Reguladoras.

Na resposta, o deputado do PSD Luís Leite Ramos concordou que esta é um tema da maior relevância, mas pediu rigor e seriedade no seu tratamento, acusando "a geringonça" da esquerda parlamentar de discutir agora esta questão apenas porque "dá muito jeito" para "fugir ao essencial".

O deputado do PSD notou ainda que a decisão do aumento dos salários na ANAC foi tomada pela comissão de fixação de vencimentos, defendendo que "para discutir o tema com seriedade" é necessário ir ao "âmago da questão".

"Não percebemos como é que o PS quer ouvir o antigo ministro da Economia, a antiga ministra das Finanças, mas recusa-se a ouvir aquela entidade que foi principal protagonista desta decisão", disse.

Pelo CDS-PP, o deputado Hélder Amaral reconheceu que os vencimentos dos administradores da ANAC são "inaceitáveis do ponto de vista ético", mas recordou que a passagem daquela organismo a regulador independente - tal como era imposto no memorando da 'troika' - é que permitiu as alterações nos salários.

"Uns atiram para cima da lei uma culpa que julgam não ser sua, quando são os únicos responsáveis pela própria lei, porque a lei que invocam como culpa e responsável por tudo aquilo que se passou nos últimos dias é a mesma lei que obteve propostas de alteração de todos os partidos e os senhores deputados do PSD e do CDS reprovaram gloriosamente", replicou por sua vez o deputado do PS Luís Testa.

O deputado Bruno Dias do PCP juntou-se igualmente às críticas, classificando o caso concreto do aumento dos vencimentos dos administradores da ANAC como "um escândalo nacional" que teve o "patrocínio direto do primeiro-ministro do Governo anterior".

Lusa

  • Marinha e Exército dão luz verde ao Aeroporto do Montijo

    País

    De acordo com a edição deste domingo do Diário de Notícias, o Exército e a Marinha já comunicaram à Força Aérea disponibilidade para desocupar parcialmente a base aérea e o Montijo se transformar num num aeroporto complementar ao de Lisboa.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.