sicnot

Perfil

Economia

CGD reduziu 448 trabalhadores e fechou 22 agências em 2015

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) baixou o seu quadro de pessoal em 448 funcionários, a maioria no âmbito do programa de reformas antecipadas, e encerrou 22 balcões no mercado português durante o ano passado, informou hoje o banco público.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

A entidade liderada por José de Matos chegou ao final de dezembro com um total de 8.410 trabalhadores (contra 8.858 em 2014) e com 764 agências (face às 786 que tinha em 2014) em Portugal.

Do total das saídas (448) de trabalhadores, 311 foram englobadas no programa de reformas antecipadas lançado pelo banco estatal no ano passado.

A informação foi passada aos jornalistas durante a apresentação das contas de 2015, tendo José de Matos revelado que o programa de reformas antecipadas, designado por Plano Horizonte, atraiu "bem mais" de 1.000 candidatos.

Além dos mais de 300 que já saíram do banco depois de se candidatarem e verem o seu processo aceite pela gestão da CGD, durante 2016 ainda podem sair mais cerca de 700 pessoas só no âmbito deste programa.

"A redução pode chegar aos 1.000" colaboradores em números largos, revelou o líder da CGD, indicando que nas contas de 2015 já foram reconhecidos custos de 65 milhões de euros relacionados com a antecipação das reformas.

Este valor já inclui o número de trabalhadores que saiu efetivamente do banco em 2015 e os que ainda vão deixar a CGD ao longo do presente ano.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.