sicnot

Perfil

Economia

Governo desmente que adiamento das 35 horas seja uma cedência a Bruxelas

De acordo com a edição de hoje do Jornal I o Governo teria cedido a Bruxelas nas negociações, para aprovação do OE2016, atirando as 35 horas para o fim do ano. A notícia foi desmentida, mas na prática é isso que vai acontecer.

A proposta do PS para reposição das 35 horas será, de acordo com o Governo, aprovada em julho deste ano. Depois o executivo tem 90 dias para publicar e, consequentemente, aplicar as novas regras.

Se assim for, significa que, na prática, as 35 horas regressam em outubro.

Ao contrário de outras medidas, a lei das 35 horas de trabalho para a função pública não tem prazo definido nos acordo assinados à esquerda. Mas é um assunto que toca, em particular, os sindicatos e por isso a relação entre o governo e as centrais sindicais. Ainda na semana passada, houve uma greve na função pública por causa das 35 horas.

  • "Almaraz: Uma bomba-relógio aqui ao lado"
    1:56
  • 105 detidos pela PSP e GNR nas últimas 24 horas

    País

    Só a GNR deteve 64 pessoas em flagrante delito, entre a noite de sexta-feira e o início da manhã deste sábado, a maioria das quais (47) por condução sob o efeito do álcool. A PSP de Lisboa efetuou 41 detenções em 24 horas, dez por tráfico de droga.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.