sicnot

Perfil

Economia

Governo desmente que adiamento das 35 horas seja uma cedência a Bruxelas

De acordo com a edição de hoje do Jornal I o Governo teria cedido a Bruxelas nas negociações, para aprovação do OE2016, atirando as 35 horas para o fim do ano. A notícia foi desmentida, mas na prática é isso que vai acontecer.

A proposta do PS para reposição das 35 horas será, de acordo com o Governo, aprovada em julho deste ano. Depois o executivo tem 90 dias para publicar e, consequentemente, aplicar as novas regras.

Se assim for, significa que, na prática, as 35 horas regressam em outubro.

Ao contrário de outras medidas, a lei das 35 horas de trabalho para a função pública não tem prazo definido nos acordo assinados à esquerda. Mas é um assunto que toca, em particular, os sindicatos e por isso a relação entre o governo e as centrais sindicais. Ainda na semana passada, houve uma greve na função pública por causa das 35 horas.

  • Militares da GNR saem hoje à rua em protesto

    País

    A Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) e a Associação Nacional de Sargentos da Guarda (ANSG) realizam esta quarta-feira uma ação de protesto em Lisboa devido "à falta de resposta" do Governo às principais reivindicações.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Marcelo termina hoje visita de Estado ao Luxemburgo

    País

    O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, termina esta quarta-feira a visita de Estado de dois dias ao Luxemburgo com uma agenda dedicada a projetos em que estão envolvidos portugueses, além de um almoço com o primeiro-ministro luxemburguês.

  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.