sicnot

Perfil

Economia

Governo desmente que adiamento das 35 horas seja uma cedência a Bruxelas

De acordo com a edição de hoje do Jornal I o Governo teria cedido a Bruxelas nas negociações, para aprovação do OE2016, atirando as 35 horas para o fim do ano. A notícia foi desmentida, mas na prática é isso que vai acontecer.

A proposta do PS para reposição das 35 horas será, de acordo com o Governo, aprovada em julho deste ano. Depois o executivo tem 90 dias para publicar e, consequentemente, aplicar as novas regras.

Se assim for, significa que, na prática, as 35 horas regressam em outubro.

Ao contrário de outras medidas, a lei das 35 horas de trabalho para a função pública não tem prazo definido nos acordo assinados à esquerda. Mas é um assunto que toca, em particular, os sindicatos e por isso a relação entre o governo e as centrais sindicais. Ainda na semana passada, houve uma greve na função pública por causa das 35 horas.

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.