sicnot

Perfil

Economia

OCDE aponta Portugal como o quarto pior país para se trabalhar

Portugal é o quarto pior país para se trabalhar, de acordo com um estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE). A taxa de desemprego de longa duração, que é o triplo da média da OCDE, e o rendimento per capita, 20% mais baixo que no conjunto dos países, prejudicam o resultado de Portugal.

A taxa de desemprego de longa duração e o reduzido rendimento per capita prejudicam o resultado de Portugal.

A taxa de desemprego de longa duração e o reduzido rendimento per capita prejudicam o resultado de Portugal.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters (Arquivo)

Só a Turquia, a Espanha e a Grécia estão piores que Portugal, numa lista de 39 países. No caso espanhol, o medo de perder o emprego é maior que em qualquer outro país.

A Islândia lidera a tabela da qualidade de emprego, seguida da Suíça e da Noruega.

  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.