sicnot

Perfil

Economia

Ikea pede aos clientes que devolvam candeeiros de teto Hyby, Lock e Rinna

O grupo sueco de mobiliário e decoração Ikea está a pedir aos clientes que tenham adquirido candeeiros de teto HYBY, LOCK e RINNA que os devolvam numa das lojas da marca, onde serão reembolsados na totalidade.

IKEA

Num comunicado divulgado hoje, a Ikea explica que decidiu efetuar a recolha de produto após testemunhos sobre a queda dos abajures de vidro destes candeeiros.

Os candeeiros de teto HYBY e LOCK são comercializados em todos os mercados Ikea: o LOCK desde 2002 e o HYBY desde 2012. Já o candeeiro de teto RINNA não é vendido em Portugal.

Segundo o grupo, os candeeiros podem ser devolvidos em qualquer loja Ikea e os clientes serão reembolsados na totalidade, não sendo necessária prova de compra (fatura).

Na mesma nota, a Ikea realça que "a segurança dos produtos é uma prioridade máxima" e que "todos os artigos são testados em conformidade com os padrões de segurança aplicáveis e de acordo com a legislação em vigor".

  • Novas buscas no Universo Espírito Santo

    Queda do BES

    O Ministério Público voltou a fazer buscas no âmbito dos processos do Universo Espírito Santo. A SIC sabe que ontem e hoje os investigadores recolheram provas em diversos locais do continente e também na Madeira, nomeadamente em residências, empresas e entidades bancárias.

    Notícia SIC

  • Visitar a região afetada pelo fogos é uma forma de ajudar na recuperação
    3:07
  • Carvalhal do Sapo tenta recuperar a vida normal após incêndio
    2:33

    País

    As populações das aldeias de Góis tentam voltar à normalidade, ao fim de vários dias rodeadas por um grande dispositivo de operacionais. A repórter Cristina Freitas esteve hoje em Carvalhal do Sapo, onde se realizou mais um funeral de uma das vítimas do incêndio de Pedrógão Grande.

  • Falta de médicos e de ofertas de emprego preocupa habitantes da Guarda
    5:13
  • "Do ponto de vista interno a candidatura do Porto é a melhor" 
    0:50

    País

    António Costa admite que a candidatura da cidade do Porto para receber a Agência Europeia do Medicamento seria a melhor para Portugal. No entanto o primeiro-ministro diz que é preciso avaliar se a candidatura do Porto é a que tem mais hipóteses de ganhar, quando comparada com outras cidades europeias. 

  • Daesh divulga imagens da destruição da mesquita de Mossul
    1:58
  • "Podemos ser atendidos por um médico branco?"
    0:58