sicnot

Perfil

Economia

Governo admite adiar prazo de entrega de declarações de IRS

O Ministério das Finanças admite adiar os prazos de entrega das declarações de IRS, que tinham início marcado para 15 de março, e vai anunciar a decisão "em breve".

Fonte oficial do gabinete do ministro das Finanças, Mário Centeno, disse à Lusa que "está a ser avaliado um adiamento da entrega [das declarações] de IRS" e que vai ser "comunicado em breve" pelo ministério essa decisão, mas sem se comprometer que será hoje a data de divulgação do adiamento.

No entanto, segundo a mesma fonte, esta alteração não muda o prazo de validação de faturas no sistema online e-fatura, que termina já na segunda-feira, dia 15 de fevereiro.

"Quanto a dia 15 não está prevista qualquer alteração", precisou a mesma fonte, sem no entanto explicar como é que vão ser validadas as faturas introduzidas depois de dia 15 de fevereiro por entidades não obrigadas a emitir faturas, como estabelecimentos públicos de saúde, e que podem enviar até 19 de fevereiro a informação das despesas dos contribuintes.

O ministério nega ainda a existência de dificuldades na validação das faturas: "Está a decorrer na normalidade", afirmou fonte oficial do ministério, confirmando apenas que na quinta-feira "durante umas horas" não foi possível aos contribuintes fazerem a autenticação no Portal das Finanças e que hoje, entre as 12:30 e 13:30, vai ser feita uma "otimização do serviço" que vai impossibilitar o acesso dos contribuintes à página durante uma hora.

A nova reforma do IRS trouxe alterações ao prazo de entrega do IRS em 2016, deixando de haver prazos diferentes para quem entrega a declaração em papel e em suporte eletrónico, decorrendo entre 15 de março e 15 de abril a primeira fase para os contribuintes com rendimentos da categoria A e da H (trabalho dependente e pensões) e de 16 de abril a 16 de maio para os rendimentos das restantes categorias.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.