sicnot

Perfil

Economia

Transportadoras reúnem-se hoje para definirem ações em defesa do setor

Os transportadores rodoviários de mercadorias reúnem-se hoje à tarde em Pombal, distrito de Leiria, para definir ações de protesto em defesa do setor, na sequência do aumento do Imposto sobre Produtos Petrolíferos (ISP).

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

As empresas associadas da Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) sentem-se penalizadas pelo aumento do Imposto sobre Produtos Petrolíferos (ISP), anunciado aquando da apresentação da proposta do Orçamento do Estado para 2016 mas que já entrou em vigor esta sexta-feira, e considera que o benefício fiscal proposto pelo Governo para compensar parcialmente o aumento dos custos fiscais iria mesmo agravar "a pressão sobre a tesouraria das empresas".

"Os seis cêntimos [por litro] que me pedem a mais pelo gasóleo são diretos e a majoração só viria em maio de 2017, se a empresa desse lucro. Não vamos financiar o Estado durante um ano e meio", afirmou o presidente da Antram, Gustavo Paulo Duarte, em declarações à Lusa.

O responsável explicou que já entre 2009 e 2012 houve um benefício fiscal e que "nenhuma empresa conseguiu realmente aplicar esta majoração", devido a ter sido definido um teto máximo do código de IRC para receber o benefício.

Sobre se do encontro de hoje poderá sair uma paralisação das transportadoras rodoviários de mercadorias, Gustavo Paulo Duarte disse que "a ANTRAM defenderá sempre a não paralisação para não prejudicar as empresas que são clientes, que devem ser as últimas a ser prejudicadas", mas também disse que a paralisação é o protesto que a associação pode ter "como moeda de troca".

Na quinta-feira à noite, e para surpresa dos operadores do mercado, o Governo publicou em Diário da República do aumento do ISP, com a subida de seis cêntimos por litro do imposto aplicável à gasolina sem chumbo e ao gasóleo rodoviário e de três cêntimos por litro no imposto aplicável ao gasóleo colorido e marcado (gasóleo verde ou agrícola), os quais entraram em vigor na sexta-feira.

A subida do ISP foi anunciada aquando da apresentação da proposta do Orçamento do Estado para 2016 para compensar a descida das cotações do petróleo nos mercados internacionais, que levou a uma perda de receitas para o Estado. Com esta medida, o executivo de António Costa poderá arrecadar mais cerca de 400 milhões de euros este ano.

É de referir que o valor a pagar pelos consumidores deverá ser superior aos anteriormente referidos, uma vez que o aumento do ISP também faz aumentar a base sobre a qual incide o IVA. Por exemplo, no caso tanto da gasolina sem chumbo como do gasóleo, o aumento total deverá ser de 7,38 cêntimos.

Uma vez que as empresas de transporte e os táxis são das atividades económicas mais afetadas por este aumento, o Governo referiu que pondera conceder-lhes um benefício fiscal para as compensar parcialmente deste custo acrescido.

O Encontro Nacional de Transportadores, promovido pela Antram, decorre pelas 14:30 (hora de Lisboa), no Auditório Municipal de Pombal.

Lusa

  • "Se Portugal não confia no sistema judicial de Angola não deve fazer negócios com o país"
    18:27

    País

    O julgamento do caso Fizz arrancou esta segunda-feira. Victor Silva, diretor do Jornal de Angola, esteve na Edição da Noite para analisar como estão as relações entre Portugal e Angola, numa altura em que Manuel Vicente viu recusada a transferência do processo para o país angolano. Victor Silva afirmou que a decisão de "separar os processos vai de encontro aos interesses dos dois estados" e vai mais longe ao dizer que se Portugal "não confia no sistema judicial de Angola então não pode fazer negócios com o país".

  • Obras no Estádio do Estoril já começaram

    Desporto

    A Câmara de Cascais emitiu esta segunda-feira um comunicado a informar que já começaram os trabalhos no Estádio do Estoril e que, segundo a autarquia, seguem as recomendações do Laboratório Nacional de Engenharia Civil.

  • Centeno promete avançar com reformas para a zona euro
    1:45

    Economia

    Mário Centeno liderou esta segunda-feira a primeira reunião do Eurogrupo. O ministro das Finanças português prometeu pôr mãos à obra para reformar a zona euro e, sem se comprometer com datas, deixou a porta entreaberta à entrada da Bulgária na zona euro.

  • Será este o "momento mais Ronaldo" de sempre?

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é protagonista de mais um momento que corre nas redes sociais. Depois de marcar o sexto golo do Real Madrid frente ao Desportivo da Corunha, o jogador português ficou ferido no rosto e foi obrigado a abandonar o campo. Mas antes, mesmo com a cara ensanguentada, pediu um telemóvel com "espelho" para ver a extensão do corte. Há quem brinque com a situação, dizendo que Ronaldo levou a sua obsessão com a sua imagem a um novo nível, mas há também quem desvalorize a situação.

    SIC

  • O jogador de futebol que se tornou Presidente de um país

    Mundo

    George Weah tomou posse esta segunda-feira como Presidente da Libéria. Foi a segunda vez que o antigo futebolista concorreu ao cargo, depois de em 2005 ser derrotado pela candidata Ellen Johnson-Sirleaf. Foi o primeiro e único futebolista africano a receber uma Bola de Ouro. A história de George Weah também passou por Portugal, onde ficou conhecido pela agressão ao ex-jogador do FC Porto, Jorge Costa, em 1996.

    Ana Rute Carvalho

  • Decifrado pergaminho encontrado há 50 anos

    Mundo

    Investigadores israelitas reconstituíram e decifraram um dos dois manuscritos de pergaminhos do Mar Morto que nunca tinham sido interpretados desde que foram descobertos há meio século, anunciou a universidade israelita de Haifa.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC