sicnot

Perfil

Economia

Riade, Moscovo, Caracas e Doha acordam congelar produção de petróleo

Os governos da Arábia Saudita, Rússia, Venezuela e Qatar acordaram hoje congelar a produção de petróleo nos níveis de janeiro, informou o ministro da Energia e Indústria do Qatar e presidente de turno da OPEP.

O petróleo começou, assim, o ano em recuperação, com os mercados asiáticos a reagirem a receios de que as tensões geopolíticas no Médio Oriente possam ameaçar o fornecimento de petróleo. (Arquivo)

O petróleo começou, assim, o ano em recuperação, com os mercados asiáticos a reagirem a receios de que as tensões geopolíticas no Médio Oriente possam ameaçar o fornecimento de petróleo. (Arquivo)

© Tom Mihalek / Reuters

"Com o objetivo de estabilizar o mercado do petróleo acordámos congelar a produção nos níveis de janeiro", sublinhou o presidente de turno da OPEP (Organização de Países Exportadores de Petróleo), Mohamed Saleh al Sada, durante uma conferência de imprensa em Doha.

Al Sada adiantou que os outros países produtores de petróleo, sejam ou não membros da OPEP, apliquem a mesma iniciativa.

Com este objetivo, o responsável do Qatar anunciou que liderará proximamente uma ronda de contactos com outros países como o Irão e o Iraque.

Na conferência de imprensa também estiveram presentes o ministro do Petróleo e Recursos Minerais saudita, Ali al Nuaimi, o titular da Energia russo, Alexander Novak, e o ministro do Petróleo venezuelano, Eulogio del Pino

  • Três irmãos resgatados dos escombros em Itália
    1:24
  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • Graça Fonseca, a primeira governante a assumir-se homossexual
    1:02

    País

    A secretária de Estado da Modernização Administrativa deu uma entrevista ao Diário de Notícias onde assume a sua homossexualidade. É a primeira vez que um governante português o faz. Graça Fonseca assume esta posição pública como uma "afirmação política".

  • Governo quer entregar OE 2018 a 13 de outubro
    1:33
  • Casa Branca isolada devido a pacote suspeito

    Mundo

    A Casa Branca foi esta terça-feira isolada devido à presença de um pacote suspeito junto a uma das vedações que limitam o edifício governamental norte-americano. A situação já foi normalizada e o objeto retirado do local.