sicnot

Perfil

Economia

Portugal colocou 1.000 M€ em dívida de curto prazo a taxas superiores

Portugal colocou hoje 1.000 milhões de euros em Bilhetes de Tesouro (BT) a três e 11 meses a taxas de juro superiores às registadas nos anteriores leilões comparáveis, de dezembro, foi anunciado.

(SIC/Arquivo)

(SIC/Arquivo)

Segundo a página da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP), nestes dois leilões foram colocados 300 milhões de euros em BT a três meses a uma taxa de juro média positiva de 0,008%, superior à mínima de sempre, de -0,023%, verificada em 16 de dezembro.

A procura de BT a três meses foi 2,3 vezes superior ao montante colocado.

Os restantes 700 milhões de euros foram colocados em BT a 11 meses a uma taxa de juro média de 0,100%, também superior à do leilão precedente, de dezembro, de 0,030%.

Em relação à procura de BT a 11 meses, esta foi 1,52 vezes superior ao montante colocado.

O montante indicativo global destas duas emissões anunciado pelo IGCP era entre os 750 e os 1.000 milhões de euros.

A última emissão de BT a 11 meses foi realizada a 16 de dezembro e, na altura, o IGCP colocou no mercado 750 milhões de euros, tendo conseguido uma taxa média de juro de 0,030%.

Também a emissão mais recente de BT a três meses foi a 16 dezembro do ano passado, tendo o IGCP colocado no mercado 248 milhões de euros a uma taxa de juro média de -0,023%.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15