sicnot

Perfil

Economia

Economia venezuelana contraiu 5,7% em 12 meses

A economia venezuelana contraiu-se 5,7% entre janeiro e dezembro de 2015, segundo dados divulgados hoje pelo Banco Central da Venezuela, afetada pela queda dos preços do petróleo.

© Carlos Garcia Rawlins / Reuters (Arquivo)

Trata-se da segunda maior contração desde 2002, ano em que a economia venezuelana contraiu 8,9% e inferior à contração registada em 2003, que foi de 7,8%.

«Entre os fatores que determinaram o comportamento da atividade económica no ano de 2015 encontra-se a menor disponibilidade de divisas, produto do impacto adverso da queda dos preços do petróleo, situação que afetou as importações requeridas pelo aparelho produtivo nacional», lê-se num relatório do Banco Central da Venezuela.

Segundo o documento, as atividades não petrolíferas venezuelanas caíram 5,6% em 2015 e as petrolíferas cederam 0,9%.

No entanto, segundo o documento, «nas atividades não petrolíferas destaca-se o crescimento observado nas comunicações (2,7%) e na prestação de serviços gerais do Governo (1%)».

«Estes resultados não permitiram compensar a queda registada na construção (23,8%), instituições financeiras (13%), comércio (11,8%), transporte e armazenamento (6,9%), manufatura (6,8%), serviços comunitários sociais e pessoais (4,3%), minas (3,6%) e eletricidade e água (2,9%)», salienta-se no documento.

Ainda segundo o banco central venezuelano, a forte queda na construção deveu-se a «dificuldades para aceder a materiais básicos como o cimento e produtos de aço, madeira, vidros, cabos, cerâmica, entre outros».

«Sob a ótica institucional, no ano de 2015, o setor público teve um aumento de 1,1%, enquanto o setor privado desceu 8,4%», explica o Banco Central da Venezuela, precisando que o investimento fixo bruto caiu 17,6%, que o consumo final privado cedeu 7,8% e que o gasto geral do Governo desceu 2,4%.

Os resultados dão conta que a economia venezuelana leva dois anos consecutivos em contração, face à registada em 2014 e que foi de 3,9%.

Lusa

  • Dez milhões para offshores provocam picardia entre Costa e Passos
    0:36

    Economia

    O primeiro-ministro disse esta quarta-feira que é "escandaloso" que um Governo que foi tão implacável com as famílias em impostos e multas, tenha tido depois "tranquilidade" em relação a dez mil milhões de euros que fugiram do país para offshores. Pedro Passos Coelho não gostou e deu resposta, mesmo já sem tempo para outra intervenção.

  • Alemanha aprova projeto-lei que permite aceder a telemóveis de migrantes
    1:52
  • Descoberta nova espécie de primatas em Angola

    Mundo

    Uma equipa britânica de cientistas descobriu uma nova espécie de galagos anões, um primata pertencente à família dos galonídeos - comum na África subsariana -, na floresta ameaçada da Kumbira, localizada na província do Cuanza Sul, noroeste de Angola.