sicnot

Perfil

Economia

Economia venezuelana contraiu 5,7% em 12 meses

A economia venezuelana contraiu-se 5,7% entre janeiro e dezembro de 2015, segundo dados divulgados hoje pelo Banco Central da Venezuela, afetada pela queda dos preços do petróleo.

© Carlos Garcia Rawlins / Reuters (Arquivo)

Trata-se da segunda maior contração desde 2002, ano em que a economia venezuelana contraiu 8,9% e inferior à contração registada em 2003, que foi de 7,8%.

«Entre os fatores que determinaram o comportamento da atividade económica no ano de 2015 encontra-se a menor disponibilidade de divisas, produto do impacto adverso da queda dos preços do petróleo, situação que afetou as importações requeridas pelo aparelho produtivo nacional», lê-se num relatório do Banco Central da Venezuela.

Segundo o documento, as atividades não petrolíferas venezuelanas caíram 5,6% em 2015 e as petrolíferas cederam 0,9%.

No entanto, segundo o documento, «nas atividades não petrolíferas destaca-se o crescimento observado nas comunicações (2,7%) e na prestação de serviços gerais do Governo (1%)».

«Estes resultados não permitiram compensar a queda registada na construção (23,8%), instituições financeiras (13%), comércio (11,8%), transporte e armazenamento (6,9%), manufatura (6,8%), serviços comunitários sociais e pessoais (4,3%), minas (3,6%) e eletricidade e água (2,9%)», salienta-se no documento.

Ainda segundo o banco central venezuelano, a forte queda na construção deveu-se a «dificuldades para aceder a materiais básicos como o cimento e produtos de aço, madeira, vidros, cabos, cerâmica, entre outros».

«Sob a ótica institucional, no ano de 2015, o setor público teve um aumento de 1,1%, enquanto o setor privado desceu 8,4%», explica o Banco Central da Venezuela, precisando que o investimento fixo bruto caiu 17,6%, que o consumo final privado cedeu 7,8% e que o gasto geral do Governo desceu 2,4%.

Os resultados dão conta que a economia venezuelana leva dois anos consecutivos em contração, face à registada em 2014 e que foi de 3,9%.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Viver em Évora
    5:11
  • Ano letivo "de uma maneira geral começou bem"

    País

    O Presidente da República considerou esta sexta-feira que o ano letivo "de uma maneira geral começou bem" e defendeu a possibilidade serem feitas "correções" a situações "injustas ou discutíveis" entre os concursos que se realizam de quatro em quatro anos.