sicnot

Perfil

Economia

PS e BE querem ver relatório secreto do Banco de Portugal sobre o BES

O PS e o Bloco de Esquerda querem ter acesso ao relatório que o Banco de Portugal nunca divulgou sobre a atuação do regulador Carlos Costa no colapso do BES.

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal.

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal.

© Hugo Correia / Reuters

A comissão de inquérito ao BANIF, que ontem tomou posse, já recebeu o requerimento assinado pela bloquista Mariana Mortágua a exigir a divulgação do relatório da consultora norte- americana BCG, encomendado por 300 mil euros pelo próprio Banco de Portugal.

Em meados do ano passado, o PS avançou com uma queixa na Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos para aceder ao relatório mas nem assim o documento foi tornado público pelo regulador, que invocou o direito à confidencialidade.

Agora, e segundo o Diário Económico, o PS volta à carga para discutir o relatório na comissão parlamentar de inquérito ao BANIF, o quarto banco a ser resgatado ou vendido nos últimos anos em Portugal.

Segundo o jornal, o Governo quer afastar Carlos Costa do Banco de Portugal. A lei protege da exoneração pelo poder político, a menos que tenha sido cometida uma "falta grave" no exercício das funções.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Presidente do Brasil formalmente acusado de corrupção

    Mundo

    O Procurador-Geral da República do Brasil apresentou na noite de segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pelo crime de corrupção passiva.

  • Reconquista de Mossul ao Daesh pode estar para breve
    1:27
  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.