sicnot

Perfil

Economia

Petróleo está tão barato que já nem os piratas o querem roubar

Os preços baixos do petróleo estão a diminuir o número de atos de pirataria em alto mar, já que deixou de ser rentável correr tantos riscos, considerou a secretária executiva da Comissão do Golfo da Guiné.

© Tim Wimborne / Reuters

"Com o preço do petróleo em níveis historicamente baixos, valendo menos de 30 dólares por barril, a pirataria já não é um negócio tão rentável como era quando os preços estavam nos 106 dólares, há alguns anos", afirmou a secretária executiva da Comissão do Golfo da Guiné, Adenike Ukonga.

Em entrevista à Bloomberg, a responsável especificou que "a queda do preço contribuiu imenso para reduzir a pirataria e outros crimes marítimos no Golfo da Guiné", mas acrescentou que as nações desta região devem continuar a trabalhar para melhorar a coordenação de segurança.

O número de ataques aos navios que transportam petróleo ainda por refinar caiu mais de 30% no ano passado, segundo um relatório divulgado no mês passado pela consultora britânica Dryad Maritime, no qual considerava provável que os ataques voltassem a aumentar quando o preço subisse novamente.

De acordo com o site noticioso Quartz, que cita um relatório da ONG norte-americana 'Oceans Beyond Piracy', a tendência de descida dos atos de pirataria nesta região da costa de África já tinha começado a descer ainda antes de os preços do petróleo caírem para os níveis a que estavam na sequência dos ataques às Twin Towers, em Nova Iorque, em 2001.

Em 2013, houve cerca de uma centena de ataques na região, dos quais 56 tiveram sucesso, e no ano seguinte o número desceu para 67, dos quais 26 conseguiram o objetivo de roubar efetivamente crude, mas estas são estimativas por baixo, uma vez que esta própria ONG estima que cerca de 70% dos ataques não sejam registados.

Apesar de não haver ainda dados finais, a Dryad Maritime estima que em 2015 o número de ataques não tenha chegado às cinco dezenas.

Lusa

  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.