sicnot

Perfil

Economia

Toyota chama 2,9 milhões de veículo à revisão em todo o mundo

A Toyota chamou hoje à revisão em todo o mundo quase 2,9 milhões de todo-o-terreno devido a uma falha nos cintos de segurança dos bancos traseiros, que poderiam não funcionar corretamente em caso de acidente.

© Toru Hanai / Reuters

A eventual avaria afeta os modelos RAV4 e RAV4 EV (este último apenas no caso dos Estados Unidos), fabricados entre julho de 2005 e agosto de 2014, e os Vanguard (modelo que só se vende no Japão), produzidos entre outubro de 2005 e janeiro deste ano.

No total, a chamada à revisão afeta 2.873.000 viaturas, vendidas sobretudo nos Estados Unidos da América (1.330.000), o maior mercado da japonesa Toyota Motor.

Segundo detalhou a empresa com sede em Aichi, Japão, numa mensagem de correio eletrónico, na Europa existem 625.000 RAV4 afetados, enquanto na China são cerca de 434 mil e no Japão aproximadamente 177 mil todo-o-terreno Vanguard abrangidos.

A Toyota explica que o problema está nos cintos dos bancos traseiros situados junto das janelas e que existe a possibilidade de, no caso de uma colisão frontal muito violenta, a parte que prende o cinto se separar ao entrar em contacto com a estrutura do assento e soltar-se.

Lusa

  • "Joguem à bola"
    1:35

    Desporto

    Cerca de uma centena de adeptos do Sporting esperaram até perto das 3:00 pela chegada da equipa ao estádio de Alvalade. Depois da eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, foi necessário o reforço policial para garantir a segurança da comitiva leonina.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Putin sai em defesa de Trump
    2:29

    Mundo

    Vladimir Putin já saiu em defesa de Donald Trump e diz que houve uma tentativa de minar o Presidente eleito dos Estados Unidos, através de um alegado relatório, atribuido à espionagem russa. Putin diz que o relatório é falso.