sicnot

Perfil

Economia

Desemprego no Brasil aumentou 41,5% face a 2014 e atinge agora 9,1 milhões

O número de desempregados no Brasil aumentou 41%, atingindo mais 2,7 milhões de pessoas quando se comparam os registos obtidos entre setembro e novembro do ano passado com igual período de 2014.

Em relação ao trimestre anterior, de junho a agosto de 2015, 323 mil pessoas perderam os seus postos de trabalho, ou seja, um aumento de 3,7%.

Em relação ao trimestre anterior, de junho a agosto de 2015, 323 mil pessoas perderam os seus postos de trabalho, ou seja, um aumento de 3,7%.

© Paulo Whitaker / Reuters

Os dados foram fornecidos pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A análise indicou que a taxa de pessoas desocupadas alcançou 9% da população brasileira, ou 9,1 milhões, a maior para o período desde 2012, quando este tipo de pesquisas começou a ser feito.

Em relação ao trimestre anterior, de junho a agosto de 2015, 323 mil pessoas perderam os seus postos de trabalho, ou seja, um aumento de 3,7%.

Já o rendimento médio real recebido em todos os trabalhos somou 1.899 reais, valor que estabilizou face ao trimestre de junho a agosto, quando ficou em 1.913 reais, e em relação ao mesmo trimestre de 2014, quando estava em 1.923 reais.

Entre setembro e novembro do ano passado, a população ocupada do Brasil era de 92,2 milhões de pessoas, mais ou menos o mesmo número quando comparado com o trimestre anterior encerrado em agosto.

Comparativamente ao mesmo período de 2014, verificou-se uma queda de 0,6%.

Os indicadores da Pnad Contínua são calculados em trimestres móveis, utilizando-se as informações dos últimos três meses consecutivos da pesquisa.

Assim, a taxa do trimestre móvel foi calculada a partir das informações coletadas em setembro, outubro e novembro do ano passado.

Lusa