sicnot

Perfil

Economia

G20 analisa economia da China e pretróleo na próxima semana

Os países do G20 vão analisar a situação económica da China, a política monetária dos Estados Unidos e a queda dos preços do petróleo na próxima semana em Xangai, anunciou hoje o ministro das Finanças do Japão, Taro Aso.

© Jonathan Ernst / Reuters

Estes figuram como os principais temas da agenda dos ministros das Finanças e dos governadores dos bancos centrais do G20, grupo das maiores economias industrializadas e emergentes, para o encontro que vai ter lugar na capital financeira da China, Xangai, na próxima quinta e sexta-feira, 25 e 26 de fevereiro, adiantou o ministro nipónico em declarações aos jornalistas.

Taro Aso também aludiu ao "excesso de crédito financeiro" da China e aos efeitos nos mercados da política monetária norte-americana, de acordo com a agência Kyodo.

A Reserva Federal (Fed), o banco central norte-americano, decidiu, em dezembro, subir as suas taxas de juro de referência em 0,25%, o primeiro aumento em quase dez anos.

Nos últimos dias intensificou-se, contudo, o debate em torno da possibilidade de os Estados Unidos imporem taxas de juro negativas, uma medida que países como a Suécia, Dinamarca, Japão ou o Banco Central Europeu (BCE) começaram recentemente a aplicar com o objetivo de estimular a economia.

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41